Guitarrista Ferenc Snétberger atua no sábado num lagar em Ferreira do Alentejo

Ferreira do Alentejo, Beja, 10 mai 2019 (Lusa) - O compositor e "mágico húngaro" da guitarra Ferenc Snétberger, acompanhado por solistas húngaros, vai atuar no sábado, num lagar de azeite do concelho de Ferreira do Alentejo, no 9.º concerto do Festival Terras Sem Sombra.

O concerto "A Música como Passaporte: Um Roteiro Magiar" vai decorrer a partir das 21:30, no Lagar da Herdade do Marmelo, "um edifício fora do comum" e considerado o "mais belo lagar do mundo", refere a organizadora do festival, a associação Pedra Angular, num comunicado enviado à agência Lusa.

Segundo a associação, no concerto, cujo programa "apresenta, lado a lado, música clássica, criação contemporânea e jazz", Ferenc Snétberger, "um nome de peso da música do século XXI", vai atuar acompanhado por "alguns dos mais talentosos solistas das gerações jovens" da Hungria, nomeadamente Orsoly Janszo (soprano), László Horvath (violino), Elemér Fehér e Béla Lakatos (clarinete), Norbert Sandor (clarinete baixo, "tárogató") e Benjamin Urban (piano).

Além do concerto, a passagem do Terras Sem Sombra deste ano por Ferreira do Alentejo, que é "já uma etapa clássica na trajetória" do festival, vai incluir também, no âmbito do seu programa de património e biodiversidade, uma visita à "villa" romana do Monte da Chaminé, no sábado, e uma ação dedicada a insetos, no domingo.

A visita à "villa" romana do Monte da Chaminé, que é "uma referência da arqueologia da região", vai decorrer no sábado, a partir das 15:00, sob orientação de "duas profundas conhecedoras" do sítio arqueológico, a museóloga Maria João Pina e a arqueóloga Sara Ramos.

A ação de domingo, a partir das 09:30, por campos de Ferreira do Alentejo, vai ser dedicada "ao grupo biológico mais diverso e abundante do planeta: os insetos", "pequenos animais muitas vezes desprezados ou ignorados", mas sem os quais "o mundo não se revelaria funcional, o que traria grandes prejuízos", como "deixaria de haver mel, o lixo não seria decomposto, o número de frutos iria decair exponencialmente e a disponibilidade alimentar para os outros animais mostrar-se-ia devastadora".

Segundo os promotores do festival, Ferreira do Alentejo "oferece um campo de observação muito interessante para o conhecimento das interações entre os insetos e a atividade humana, permitindo analisar o papel relevantíssimo do mosaico agrícola e florestal na conservação da biodiversidade".

O 15.º Festival Terras Sem Sombra, sob o título "Sobre a Terra, sobre o Mar - Viagem e Viagens na Música (séculos XV-XXI)", tem os Estados Unidos da América como país convidado e decorre até dia 07 de julho em 13 concelhos do Alentejo e da região espanhola de Extremadura.

O Baixo Alentejo e o litoral alentejano são a "geografia tradicional" do festival, que este ano se alarga e chega ao Alentejo Central, Alto Alentejo e à Extremadura espanhola.

Este ano, o festival inclui 50 atividades, entre concertos, visitas a património, ações de salvaguarda de biodiversidade e conferências, nos concelhos de Vidigueira, Serpa, Reguengos de Monsaraz, Valência de Alcântara, Olivença, Beja, Elvas, Cuba, Ferreira do Alentejo, Odemira, Barrancos, Santiago do Cacém e Sines.

Exclusivos