Governo da Guiné-Bissau lança campanha de vacinação contra poliomielite

O Ministério da Saúde da Guiné-Bissau lançou hoje uma campanha de vacinação contra a poliomielite, que pretende ver erradicada do país até ao final deste ano.

A campanha, que vai decorrer em simultâneo nos países da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), realiza-se entre hoje e segunda-feira em todo o território nacional.

"A campanha é organizada porta-a-porta e vai abranger crianças a partir dos zero meses", disse o diretor-geral da Prevenção e Promoção de Saúde, Agostinho N'Dumba, que pediu às pessoas para participarem.

Segundo Agostinho N'Dumba, as crianças vão também ser desparasitadas e tomar o suplemento de vitamina A.

"Já há três anos que não é registado nenhum caso de poliomielite na Guiné-Bissau", afirmou o diretor-geral da Prevenção e Promoção da Saúde, mas o país tem mantido a vigilância para obter o certificado de erradicação da Organização Mundial de Saúde.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.