Futebol: I Liga/ FC Porto - Santa Clara (ficha)

Porto, 20 abr 2019 (Lusa) - O FC Porto venceu hoje o Santa Clara, por 1-0, em encontro da 30.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado no Porto.

Jogo no Estádio do Dragão, no Porto.

FC Porto - Santa Clara, 1-0.

Ao intervalo: 1-0.

Marcador:

1-0, Marega, 18 minutos.

Equipas:

- FC Porto: Casillas, Manafá, Felipe, Militão, Alex Teles, Otávio (Fernando Andrade, 64), Danilo, Herrera, Brahimi (Corona, 61), Marega e Soares (Óliver Torres, 78).

(Suplentes: Vaná, Maxi Pereira, Mbemba, Óliver Torres, Corona, Fernando Andrade e Aboubakar).

Treinador: Sérgio Conceição.

- Santa Clara: Marco, Patrick, Fábio Cardoso, César, João Lucas, Osama Rashid (Thiago Santana, 74), Kaio Pantaleão, Martin Chrien (Ukra, 63), Bruno Lamas, Zé Manuel (Pablo Lima, 82) e Guilherme Schettine.

(Suplentes: João Lopes, Ukra, Thiago Santana, Mamadu Candé, Lucas Marques, Malick Evouna e Pablo Lima).

Treinador: João Henriques.

Árbitro: Manuel Oliveira (AF Porto).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Guilherme Schettine (75), Corona (83) e Fernando Andrade (90+2).

Assistência: 43.911 espetadores.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.