Frelimo diz que não está preocupada com candidatura independente de Samora Machel Júnior

A Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), partido no poder, afirmou hoje que não está preocupada com a candidatura de Samora Machel Júnior pela Associação Juvenil para o Desenvolvimento de Moçambique (AJUDEM) às eleiçõs autárquicas de 10 de outubro.

Samora Machel Júnior, filho do primeiro Presidente moçambicano pós-independência, Samora Machel, foi terça-feira inscrito na Comissão Nacional de Eleições (CNE) como cabeça-de-lista da AJUDEM, um grupo da sociedade civil, para as eleições autárquicas de 10 de outubro, depois de a sua candidatura nas internas da Frelimo ter sido rejeitada.

"Nós, como partido, não estamos preocupados com esse assunto", disse Caifadine Manasse, porta-voz da Frelimo, em declarações ao canal privado STV.

Caifadine Manasse adiantou que Samora Machel Júnior ainda não informou formalmente a Frelimo da sua decisão de concorrer pela AJUDEM, assinalando que o político tem o dever moral de comunicar o partido.

"Oficialmente, ainda não temos nenhuma informação", frisou.

O filho de Samora Machel Júnior viu a sua candidatura nas eleições internas do partido no poder para autarca de Maputo ser rejeitada, por razões até agora desconhecidas.

O político recorreu à Comissão Política da Frelimo, mas o órgão nunca se pronunciou e o processo encerrou com a eleição de Eneas Comiche para candidato do partido no poder a autarca da capital.

Samora Machel Júnior nasceu do casamento entre Samora e Josina Machel, ainda no tempo da luta de libertação nacional.

Josina Machel morreu em 1971, tendo Samora Machel casado com Graça Machel.

Machel foi o primeiro Presidente moçambicano pós-independência, entre 1975 e 1986, ano em que morreu num desastre aéreo.

As eleições autárquicas moçambicanas vão realizar-se em 53 municípios de Moçambique e serão as quintas na história do país, depois da realização das primeiras do género em 1998, no âmbito da introdução da municipalização.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG