Explosão em fábrica de químicos na China faz três mortos

Pequim, 24 abr 2019 (Lusa) - Pelo menos três pessoas morreram e cinco ficaram feridas após uma explosão numa fábrica de produtos químicos na cidade de Ulanqab, na região chinesa da Mongólia Interior, informou hoje a agência noticiosa oficial Xinhua.

A explosão ocorreu às 02h55 (19:55 de terça-feira, em Lisboa), na fábrica de Dongxing, do grupo Yidong, detalhou a Xinhua.

Os feridos encontram-se a receber tratamento hospitalar.

O governo local mobilizou uma equipa de bombeiros para apagar o incêndio e procurar sobreviventes.

Acidentes industriais são frequentes na China, onde, em média, morrem 70.000 trabalhadores por ano, segundo a Organização Mundial do Trabalho.

No mês passado, uma explosão numa fábrica de produtos químicos, no leste do país, fez mais de 60 mortos.

Em 2015, duas explosões nas instalações químicas da zona portuária da cidade de Tianjin, nordeste da China, provocaram pelo menos 165 mortos e causaram prejuízos de mais de mil milhões de dólares.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.