Eurico Carrapatoso compõe música para leitura encenada de "A noite de Natal"

Lisboa, 03 mai 2019 (Lusa) -- Uma leitura encenada de "A noite de Natal", com música original de Eurico Carrapatoso, integra o programa das comemorações do centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner na Casa Andresen, no Porto.

A iniciativa realizar-se-á antes do Natal deste ano, disse Martim Sousa Tavares, o maestro-curador das comemorações do centenário de nascimento da poeta na Galeria da Biodiversidade - Centro de Ciência Viva, um dos polos do Museu de História Natural e da Ciência do Porto que, entre 1895 e 1930, foi a casa dos avós da autora de "A fada Oriana" onde esta e seu primo Ruben A. passaram parte da infância.

O neto mais novo da escritora, que falava à margem de um ensaio para imprensa do conto musical "A menina do mar" - a estrear-se hoje no Teatro Luís de Camões, em Lisboa, referiu tratar-se de um espetáculo "mais íntimo".

Terá um piano e uma artista e ao longo da leitura encenada serão projetadas ilustrações que encomendou a Mariana, a miserável - nome artístico de Mariana Santos - sobre a obra escrita pela avó e publicada, pela primeira vez, em 1959, com ilustrações de Sarah Afonso.

Um tríptico de teatro imersivo infantil "A partir de Sophia e sobre Sophia" a levar à cena, em final de junho, no Porto, consta também do programa das comemorações do centenário da escritora, referiu.

O projeto resulta de uma encomenda do maestro às cantoras brasileiras Tatiana Salem Levy e Flávia Lins, vai utilizar todo o espaço da Casa Andresen assim como jardim e armazéns e contará com personagens como a poeta e seu primo Ruben A. enquanto crianças assim como com o avô de ambos.

"Como gosto de trazer os textos à vida, vamos usar todo aquele espaço e andar por ali com as crianças para, no fundo, informar sobre a vida e obra de Sophia", referiu, acrescentando que a encenação estará a cargo do Teatro do Bolhão.

Sophia de Mello Breyner Andresen nasceu em 06 de novembro de 1919, no Porto, e morreu, em 02 de julho de 2004, em Lisboa. Prémio Camões em 1999, os restos mortais da escritora foram trasladados, em 2014, para o Panteão Nacional.

Exclusivos