COMENTÁRIO: Benfica bate Sporting e está a um triunfo do título de voleibol

Lisboa, 20 abr 2019 (Lusa) -- O Benfica voltou hoje a vencer o Sporting, desta vez por 3-2, no terceiro jogo da final do campeonato nacional de voleibol, e está a um triunfo de voltar a sagrar-se campeão nacional, dois anos volvidos.

Depois de ter conseguido igualar a final há uma semana, também em casa, com um triunfo por 3-0 (25-20, 25-19 e 25-20), os 'encarnados' dominaram todo o primeiro parcial, conseguindo gerir vantagens curtas de dois e três pontos, suficientes para entrar a ganhar no encontro, por 25-20.

Nos campeões nacionais, Jordan Richards e Roberto Reis foram os que mais tentaram contrariar a vantagem adversária, porém, do outro lado, Zelão mostrou-se seguro e forte e defender junto à rede, enquanto Raphael Oliveira embalou as 'águias' com serviços potentes para a vantagem inicial.

No segundo 'set', os 'leões' 'acordaram', mostraram-se mais coesos no bloco e o australiano Jordan Richards voltou a estar em evidência, quer a atacar quer a defender, ajudando a repor a igualdade, com um 25-22.

Os erros cometidos pelos 'encarnados' no segundo parcial acabaram por repetir-se, faltando à equipa de Marcel Matz solidez defensiva e acerto no serviço, ainda que tenha sido o mais equilibrado (23-25) a favor da formação 'leonina'.

Com o Benfica mais pressionado e a precisar de vencer o quarto parcial para ir à 'negra', os 'encarnados' impuseram toda a sua qualidade, com a Raphael a voltar a ser decisivo num 'set' esmagador (25-15).

No mais importante dos parciais (15-10), foi o Benfica a superiorizar-se, ainda que tenha contado com ajuda de vários serviços falhados por parte do Sporting, face ao visível cansaço.

O quarto jogo da final, disputada à melhor de cinco, está agendado para quinta-feira, de Pavilhão João Rocha, em Lisboa, com o Benfica a poder sagrar-se campeão. Se perder, o título decide-se na Luz, no próximo sábado.

Jogo no Pavilhão n.º 2 do Estádio da Luz, em Lisboa.

Benfica - Sporting, 3-2.

Parciais: 25-20 (27 minutos), 22-25 (28), 23-25 (34), 25-15 (25) e 15-10 (20).

Sob arbitragem de Vítor Gonçalves e Rui Reis as equipas alinharam com os seguintes jogadores:

- Benfica: Raphael Oliveira, Theo Lopes, Ivo Casas (líbero), Winters, Zelão e Tiago Violas. Jogaram ainda: Wohlf, Hugo Gaspar, Nuno Pinheiro, Marc Honore e André Lopes.

Treinador: Marcel Matz.

- Sporting: Hugo Ribeiro (líbero), Roberto Reis, Angel Dennis, Miguel Maia, Richards e Hélio Sanches. Jogaram ainda: Marshall (líbero), Ruperez, André Brown, João Simões, Marko Bojic, José Monteiro e Fabrício Silva.

Treinador: Hugo Silva.

Assistência: cerca de 1.500 espetadores.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.