CIM transmontana desafia criativos a desenvolver imagem para marca da região

A Comunidade Intermunicipal Terras de Trás-os-Montes (CIM-TTM) lançou hoje um concurso de ideias a nível nacional, desafiando os criativos a apresentarem propostas para criação da imagem que passará a figurar nos produtos oriundos deste território.

"Este concurso é destinado a particulares ou empresas sediadas no território transmontano, ou fora dele, para criação de um logótipo, que fará parte de uma imagem comum a todos os produtos dos nove concelhos que integram a CIM transmontana", explicou o presidente da CIM-TTM, Artur Nunes.

A ideia do Conselho Intermunicipal da CIM-TTM passa por criar uma "marca chapéu" para os produtos turísticos, agrícolas, pecuários, industriais ou outros, para que sejam comercializados e promovidos "como um todo".

"O que pretendemos é criar uma marca única que una os nove concelhos, para que seja um fator de desenvolvimento económico, único, do ponto de vista de identificação e promoção dos produtos a comercializar, não só no mercado interno como no externo", vincou o também autarca de Miranda do Douro.

Para o líder da CIM transmontana, o território tem que ter uma identidade única através de uma marca que possa englobar todos os produtos que são fabricados / produzidos nos nove concelhos que fazem parte do projeto.

A CIM-TTM é constituída pelos municípios de Alfândega da Fé, Bragança, Macedo de Cavaleiros, Miranda do Douro, Mirandela, Mogadouro, Vila Flor, Vimioso e Vinhais.

Para a presentação deste novo projeto supramunicipal, os nove representes dos concelhos da CIM-TTM, reuniram-se na aldeia de Palaçoulo, no concelho de Mirando do Douro, por ser uma das mais industrializadas deste território considerado de baixa densidade populacional.

Esta localidade do distrito de Bragança, com cerca de 650 habitantes, dá emprego a cerca de 400 pessoas de forma direta, que trabalham, essencialmente, nas indústrias de cutelarias e tanoarias, em que a produção, na sua maioria, é absorvida pelo mercado externo.

"É preciso ter a perceção da riqueza do território e Palaçoulo é um bom exemplo. Aqui são fabricados produtos que levam o nome de Trás-os-Montes aos quatro cantos do mundo e que muito podem contribuir pera este novo projeto", indicou Artur Nunes.

O presidente da Junta de Freguesia da Palaçoulo, Manuel Gonçalves, mostrou-se agradado com a visita dos autarcas à localidade, onde houve um contacto direto com as principais unidades fabris que podem contribuir para uma "marca chapéu" originária de Trás-os-Montes.

Exclusivos