CDS pediu "debate sério", esquerda "chumba" pacote do CDS sobre natalidade

O CDS-PP fez hoje um derradeiro apelo a "um debate sério, claro" e "sem partidarite" sobre políticas de natalidade e demografia, mas o PS e a esquerda já tinham "condenado" os projetos de lei em discussão.

Na primeira hora do debate, ficou claro que socialistas, comunistas e bloquistas iriam "chumbar" os sete projetos de lei e um projeto de resolução do CDS, em que se prevê uma redução do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e do IRS, dependente do número de filhos.

Uma hora depois de Carlos César, presidente e líder parlamentar do PS, ter anunciado o voto contra, após uma reunião da bancada, Filipe Anacoreta Correia fez a apresentação das medidas, uma a uma, com recados à esquerda que acusou de partidarite e de viver em "quarentena ideológica".

Ainda assim, deixou o apelo a "um debate sério, claro e direto", em que "não está em causa o CDS, mas sim cada proposta", ao "serviço do país e dos portugueses".

PS e partidos à esquerda alinharam pelos mesmos argumentos, criticando os democratas-cristãos por nada proporem sobre salários, precariedade laboral ou horários de trabalho, fatores que pesam na decisão dos casais para terem filhos, antevendo um "chumbo", no final do debate.

Exclusivos

Premium

Livro

Antes delas... ninguém: mulheres que desafiaram o domínio masculino

As Primeiras - Pioneiras Portuguesas num Mundo de Homens é o livro com as biografias de 59 mulheres que se atreveram a entrar nas profissões só de homens. O DN desvenda-lhe aqui oito dessas histórias, da barrista Rosa Ramalho à calceteira Lurdes Baptista ou às 'Seis Marias' enfermeiras-paraqueditas, entre outras