Brexit: CMVM quer dar apoio a empresas que queiram mudar-se para Portugal

Redação, 24 abr 2019 (Lusa) -- A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) quer "dar apoio a empresas que pretendam mudar-se para Portugal" devido a riscos mundiais como o 'Brexit'.

Num relatório em que o organismo analisa as várias ameaças mundiais com potencial para ter repercussões nos mercados, a entidade adianta "os riscos globais que podem ter impacto nas atividades e nos mercados que estão dentro das responsabilidades da CMVM".

Assim, o regulador nacional "tem vindo a avaliar os efeitos do 'Brexit nos mercados financeiros portugueses, bem como as potenciais fontes de riscos sistémicos e efeitos de contágio na União Europeia (UE)".

Segundo o mesmo documento, publicado hoje pela entidade, a CMVM tem como objetivo "dar apoio a empresas que pretendam mudar-se para Portugal, por exemplo, devido ao 'Brexit'".

Por isso, o regulador "participou em dezembro de 2018 numa reunião com a indústria financeira em Londres e montou uma nova linha de apoio", lê-se no documento.

A entidade alerta para vários riscos, recordando que houve um período de relativa calma nos mercados, que "alimentaram a complacência dos investidores e a sensação de segurança", mas que este cenário se alterou a partir de fevereiro do ano passado, com o regresso da volatilidade "devido a correções temporárias".

A política monetária americana também teve impacto nesta tendência, visto que as expetativas dos investidores estavam "em mudança", refere a CMVM.

O regulador avisa ainda que os acontecimentos geopolíticos de 2018, desde o 'Brexit', os "coletes amarelos" em França até à situação na Venezuela, entre outros eventos, "representam uma preocupação para os investidores, que já levaram a períodos de volatilidade nos mercados europeu e americano".

Exclusivos