Brasil envia equipa para interrogar militar preso com droga em Espanha

Brasília, 02 jul 2019 (Lusa) - O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse hoje que irá enviar para Espanha uma equipa de militares para interrogar o sargento brasileiro detido na terça-feira passada com 39 quilogramas de cocaína no aeroporto de Sevilha.

"O comandante Bermudez (da Força Aérea Brasileira) instaurou um inquérito policial militar. Outras investigações estão a ser feitas. Estamos a fornecer informações à polícia de Espanha. O mais breve possível uma equipa nossa irá (a Espanha) para ouvir o sargento", disse o governante aos jornalistas, após um almoço com os ministros da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno.

Bolsonaro declarou as suas suspeitas de que este não tenha sido o primeiro contacto do militar com drogas, devido ao volume apreendido.

"Todos nós achamos, temos a suspeita, de que não é a primeira vez que ele mexeu com drogas, tendo em vista a quantidade", frisou o chefe de Estado, citado pela imprensa local.

O militar brasileiro, de 39 anos, foi detido na semana passada, em Sevilha, com 39 quilogramas de cocaína na sua bagagem, quando integrava a tripulação de um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) que apoiava a visita de Jair Bolsonaro ao Japão, para participar na cimeira do G20 (abreviatura para grupo dos 20), as 19 maiores economias do mundo mais a União Europeia.

Segundo a imprensa brasileira, a detenção levou o Governo brasileiro a mudar para Lisboa a escala do avião do Presidente, que deveria ser feita também em Sevilha.

Na sua conta na rede social Twitter, o chefe de Estado, Jair Bolsonaro, adiantou que pediu ao ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, "imediata colaboração com a polícia espanhola, na pronta elucidação dos factos, cooperando em todas as fases da investigação, bem como instauração de um inquérito".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG