Bolsas europeias em baixa, depois de mini-férias da Páscoa

Lisboa, 23 abr 2019 (Lusa) -- As principais bolsas europeias estavam hoje em baixa, exceto Londres, depois das férias da Páscoa, pendentes da forte subida da cotação do petróleo e das eleições espanholas do próximo domingo.

Às 08:50 em Lisboa, o EuroStoxx 600 recuava 0,24%, para 389,51 pontos.

As bolsas de Paris e Frankfurt desciam 0,15% e 0,09%, bem como as de Madrid e Milão, que recuavam 0,28% e 0,15%, respetivamente. Londres subia 0,17%.

Depois de ter aberto em baixa, a bolsa de Lisboa invertia a tendência e às 08:50 o principal índice, o PSI20, subia 0,10%, para 5.364,86 pontos.

O preço do petróleo Brent, de referência na Europa, subiu na segunda-feira quase 3% para máximos desde o início de novembro, depois

São vários os fatores que explicam esta tendência para a alta, mas esta subida deve-se fundamentalmente à quase certeza de que o Governo dos Estados Unidos vai anunciar o fim das isenções de sanções para os países que importem petróleo bruto do Irão a partir de 02 de maio, segundo os media norte-americanos.

Os Estados Unidos voltaram a impor sanções contra a exportação de petróleo e o setor financeiro do Irão para pressionar Teerão a reduzir o programa nuclear e de mísseis.

O barril de petróleo Brent para entrega em junho abriu hoje em alta, a cotar-se a 74,47 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, mais 0,63% do que na sessão anterior e depois de ter estado acima dos 85 dólares no início de outubro.

Hoje, os mercados aguardam a publicação de indicadores macro como o da dívida pública da União Europeia (UE) e a estimativa do PMI da atividade da zona euro referente a abril.

Em Nova Iorque, Wall Street terminou mista na segunda-feira, com o Dow Jones a subir 0,18% para 26.511,05 pontos, contra o máximo de seis meses de 26.559,54 pontos em 18 de abril e depois de ter atingido em 03 de outubro de 2018 26.828,39 pontos, atual máximo desde que foi criado em 1896.

Em sentido contrário, o Nasdaq fechou a avançar 0,22% para 8.015,27 pontos, um máximo de seis meses, após ter subido até aos 8.109,69 pontos em 29 de agosto de 2018, atual máximo de sempre.

A nível cambial, o euro abriu em alta no mercado de divisas de Frankfurt, mas a cotar-se a 1,1250 dólares, contra 1,1245 dólares na quinta-feira.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.