Bolsa de Nova Iorque negoceia mista animada com posições da Fed e BCE

Nova Iorque, 06 jun 2019 (Lusa) -- A bolsa de Nova Iorque está hoje a negociar mista, depois de a Reserva Federal norte-americana (Fed) e o Banco Central Europeu (BCE) terem dado indicações de que apoiarão a recuperação da economia nestas regiões do mundo.

Cerca das 15:12 (hora de Lisboa), o índice Dow Jones Industrial subia 0,08% para 25.558,49 pontos, enquanto o Standard & Poor's recuperava 0,07% para 2.828,02 pontos.

Já o Tecnológico Nasdaq recuava 0,20% para 7.560,77 pontos.

Depois de o presidente da Fed, Jerome Powell, ter sinalizado uma descida dos juros nos Estados Unidos, o BCE anunciou hoje que as suas taxas de juro, que estão em mínimos históricos, não devem aumentar antes do fim "do primeiro semestre de 2020".

No comunicado divulgado no final de uma reunião de política monetária realizada em Vilnius, na Lituânia, a instituição sugere pela segunda vez um adiamento da primeira subida das taxas de juro na zona euro desde 2011.

A posição dos dois bancos centrais está a influenciar hoje os mercados financeiros e a afastar, por agora, os receios provocados pela escalada da tensão comercial entre os EUA e a China, bem como entre os EUA e o México, segundo os analistas internacionais.

Nos estados Unidos também se ficou a saber que o número de novos pedidos de subsídio de desemprego nos Estados Unidos se manteve nos 218 mil na semana passada, face à semana anterior, denotando que o mercado laboral está robusto, apesar de haver sinais de algum abrandamento económico do país.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.