BE quer fiscalização à Junta da Feira após acidente grave com funcionário da casa

Santa Maria da Feira, Aveiro, 27 jun 2019 (Lusa) - O BE exigiu hoje uma fiscalização à Junta de Freguesia de Santa Maria da Feira, no concelho homónimo, por ter "sérias dúvidas" de que o funcionário envolvido num "grave acidente de trabalho" tenha observado as normas de segurança.

Segundo a coordenação distrital de Aveiro do partido, em causa está "um trabalhador da Junta da União de Freguesias de Santa Maria da Feira, Travanca, Sanfins e Espargo", que a semana passada "manejava uma pistola de pressão de água para executar uma tarefa ordenada pelo executivo da junta, quando sofreu um acidente de trabalho" e foi depois "internado em estado grave".

Defendendo "uma rápida intervenção dos organismos fiscalizadores para que situações como esta não se voltem a repetir", o BE diz que "há sérias dúvidas sobre se a tarefa estava a ser executada nas devidas condições de segurança previstas por lei".

O partido questiona "se a entidade patronal garantiu essas condições ao trabalhador, nomeadamente através de formação adequada para o manejamento" da pistola de pressão de ar e disponibilizando "equipamentos de proteção individual".

Tendo já requerido a intervenção de Autoridade para as Condições do Trabalho, Inspeção-Geral de Finanças e Direção-Geral da Administração e do Emprego Público, o BE realça que "a falta de cumprimento com a legislação e com as regras de segurança e saúde no trabalho é algo intolerável, mais ainda quando acontece num organismo público" como uma junta de freguesia.

A Lusa tentou ouvir a Junta de Freguesia da Feira e o respetivo presidente, mas tal não foi possível até ao momento.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.