Alunos de catorze instituições de ensino superior expõem na Bienal de Cerveira

Alunos de catorze instituições de ensino superior do norte vão expor os seus trabalhos na 19.ª edição da bienal de Vila Nova de Cerveira, que decorre de julho a setembro, anunciou hoje a fundação que organiza o evento.

Em comunicado, hoje, a Fundação Bienal de Cerveira (FBAC) explicou que a participação daquelas instituições se enquadra na estratégia "de aproximação dos conceitos científicos à prática artística e de promoção da reflexão entre alunos, professores e artistas".

"No total, foram 14 as instituições que aceitaram este desafio e que vão expor na Bienal de Arte mais antiga do país", sustentou a FBAC.

Para o presidente da fundação, Fernando Nogueira, citado naquela nota, "as Bienais Internacionais de Arte de Cerveira são, desde 1978, um local de encontro, debate e investigação de arte contemporânea, pelo que a presença das 14 entidades contribuirá, certamente, para uma reflexão conjunta".

O espaço Factory VNC, situado no antigo quartel dos bombeiros voluntários de Vila Nova de Cerveira, vai acolher os trabalhos do Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa do Porto, Escola de Artes da Universidade de Évora, Escola Superior Artística do Porto, Escola Superior das Artes e Design das Caldas da Rainha, Instituto Politécnico de Leiria, Escola Superior das Artes e Design de Matosinhos, Escola Superior de Educação, do Instituto Politécnico do Porto, Escola Superior de Media Artes e Design, Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo, Instituto Politécnico do Porto, Escola Superior Gallaecia, Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, IPT/Instituto Politécnico de Tomar e a Universidade do Minho.

A bienal vai decorrer de 15 julho a 16 setembro, em Vila Nova de Cerveira, no distrito de Viana do Castelo, e vai expor 206 obras de 149 artistas de 26 países.

Com o tema "Da Pop Arte às Trans-Vanguardas, Apropriações da Arte Popular", o evento vai homenagear a pintora Paula Rego, o artista Ernesto de Sousa e o escultor Jaime Azinheira (1944-2016).

O programa da bienal, criada em 1978, que teve o escultor José Rodrigues como um dos fundadores, incluirá representações de universidades, escolas superiores e politécnicos das áreas artísticas, artistas convidados nacionais e estrangeiros com curadorias nacionais e internacionais, espetáculos, conferências e debates, ateliês, oficinas, visitas guiadas, entre outras ações.

Em 2015, a Bienal de Arte Vila Nova de Cerveira recebeu mais de 80 mil visitantes, nos 12 espaços que acolheram mais de 500 obras de arte, assinadas por quatro centenas de artistas de 33 países.

Segundo a organização, o orçamento da última edição rondou os 450 mil euros, suportados pela câmara local, pela Direção-Geral das Artes e por patrocinadores.

Exclusivos