Lisboa conhece recordes na qualidade do ar

As medidas restritivas motivadas pela covid-19 contribuíram para a quebra do tráfego rodoviário e a diminuição da poluição na capital. Avenida da Liberdade teve a menor taxa de dióxido de azoto desde que há medições.

No passado dia 12 de abril, dia Nacional do Ar, a Zero - Associação Sistema Terrestre Sustentávelidentificou três recordes de qualidade do ar na Avenida da Liberdade, em Lisboa, onde nos últimos anos se verificaram os piores valores de concentração de poluentes.

Nos dias úteis do último mês desde o início do estado de alerta (16 de março a 9 de abril), a concentração média de dióxido de azoto (NO2) na Avenida da Liberdade foi a menor verificada no século XXI à escala mensal (25,9 mg/m3).

A concentração média de dióxido de azoto (NO2) nos dias úteis da última semana (6 a 9 de abril) foi a mais reduzida à escala semanal desde o estado da alerta (20, 5 mg/m3).

Em 2019, a concentração média anual de dióxido de azoto em Entrecampos era de 36 mg/m3. A média desde o estado de alerta (13 de março a 14 de abril) é de 19 mg/m3.

Também as concentrações médias de dióxido de azoto (NO2) dos dias úteis das últimas quinzenas desde o estado de alerta foram as mais reduzidas desde janeiro de 2019. A média anual, em 2019, no mesmo local, foi de 54,6 mg/m3, acima do valor limite-anual da legislação: 40 mg/m3.

Mas não é só a Avenida da Liberdade que regista números significativamente mais baixos. Em 2019, a concentração média anual de dióxido de azoto em Entrecampos era de 36 mg/m3, média desde o estado de alerta (13 de março a 14 de abril) é de 19 mg/m3. Também nos Olivais passou de 27 mg/m3 para 15 mg/m3.

Segundo a Zero, em declarações ao DN, os valores identificados decorrem da quebra de tráfego rodoviário, sendo o dióxido de azoto "um excelente indicador da poluição associada à atividade humana".

Perante estes valores recorde, a Zero apela para para que, assim que a cidade retome o funcionamento, seja possível implementar "de forma justa e progressiva um conjunto de medidas que consigam no futuro o cumprimento da legislação".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG