Viúva de McAfee diz que criador do antivírus informático não era suicida

"As suas últimas palavras para mim foram 'Amo-te e telefono-te logo à noite'", disse Janice McAfee.

A viúva de John McAfee, o multimilionário anglo-norte-americano que morreu numa prisão espanhola enquanto aguardava a extradição para os Estados Unidos, declarou esta sexta-feira que o comportamento do marido quando falaram pela última vez não era de um suicida.

"As suas últimas palavras para mim foram 'Amo-te e telefono-te logo à noite'", disse Janice McAfee no exterior da penitenciária Brians 2, a noroeste de Barcelona, onde foi buscar os pertences do marido.

"Essas palavras não são as de alguém suicida", acrescentou, nas suas primeiras declarações públicas depois da morte, na quarta-feira, do empresário de software, criador do famoso antivírus informático com o seu nome.

As autoridades espanholas vão realizar uma autópsia ao corpo de McAfee, mas afirmaram que tudo no local indicava que o magnata de 75 anos se terá suicidado.

John McAfee foi detido no aeroporto de Barcelona em outubro de 2020, em cumprimento de um mandado de captura emitido pelo ministério público do Estado norte-americano do Tennessee por alegada evasão fiscal no valor de mais de quatro milhões de dólares.

Horas antes de ser encontrado morto na sua cela, a Audiência Nacional espanhola concordou com a sua extradição para os Estados Unidos, mas a decisão não era final.

"Nós estávamos preparados para essa decisão e tínhamos um plano de ação já preparado para recorrer", disse à imprensa Janice McAfee, de 38 anos.

"Eu culpo as autoridades norte-americanas por esta tragédia: por causa destas acusações politicamente motivadas contra o meu marido, ele está agora morto", acrescentou.

Os resultados da autópsia de McAfee poderão demorar "dias ou semanas", indicaram as autoridades espanholas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG