Vendas de "Versículos Satânicos" e outros livros de Rushdie disparam após ataque

Escritor britânico permanece internado em estado considerado grave após ter sido esfaqueado múltiplas vezes num evento literário em Nova Iorque, mais de 30 anos após lhe ser decretada uma fatwa pelo fundador da República Islâmica do Irão.

As vendas de livros de Salman Rushdie, especialmente o romance "Os Versículos Satânicos", aumentaram neste sábado (13 de agosto), depois de o escritor britânico ter sido esfaqueado mais de três décadas após a publicação da obra que lhe valeu uma condenação à morte pelo falecido líder supremo e fundador da República Islâmica do Irão.

Na tarde deste sábado, três edições da obra encabeçavam o top de livros da Amazon, que marca o ritmo de livros vendidos nas últimas 24 horas. O seu primeiro best-seller, "Os Filhos da Meia-Noite", ocupava a quarta posição.

Rushdie ficou gravemente ferido na sexta-feira quando foi esfaqueado no pescoço e no abdómen ao ser atacado por um homem durante um evento literário no estado de Nova Iorque.

O atentado causou espanto mundial, em especial por acontecer mais de 30 anos depois de o aiatolá Ruhollah Khomeini ter emitido uma fatwa que exigia a morte do escritor britânico por causa dos obra "Os Versículos Satânicos", por considerá-la uma blasfêmia.

Na livraria Strand de Nova Iorque, diversas obras de Rushdie estavam entre as mais procuradas pelo público, sem contar os pedidos pela internet.

"As pessoas chegam e buscam qualquer um dos livros, querem saber quais temos", disse à AFP Katie Silvernail, responsável por uma das seções da livraria.

Utilizadores do Twitter, por sua vez, pediram que as pessoas comprassem livros de Rushdie como forma de expressar solidariedade.

O escritor britânico está hospitalizado na Pensilvânia e seu estado é considerado grave.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG