Três palestinianos mortos em ataque israelita na Cisjordânia

Entre as três vítimas mortais está um comandante das Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa, grupo armado do movimento Fatah, informou o exército israelita.

Durante uma operação militar israelita, levada a cabo esta terça-feira, três palestinianos foram mortos, disse o Ministério da Saúde palestiniano. Há registo de dezenas de feridos, na sequência da operação das forças israelitas, que invadiram uma casa na cidade de Nablus, na Cisjordânia.

Entre as vítimas mortais está um comandante militar regional, revelou o exército israelita. Trata-se de Ibrahim Al-Nabulsi, que terá sido o alvo desta operação israelita.

"O terrorista Ibrahim al-Nabulsi foi morto na cidade de Nablus", disse o exército israelita, em comunicado, dando conta que "outro terrorista que estava na casa" também morreu durante a operação. As forças israelitas dizem ter lançado um míssil contra a casa, tendo ainda detido quatro suspeitos durante a ação militar.

Nabulsi era um comandante das Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa, grupo armado do movimento Fatah.

Na antiga cidade de Nablus, um correspondente da AFP relatou que palestinianos trocaram tiros com as forças de Israel. Pelo menos 40 palestinianos ficaram feridos, quatro deles em estado grave, segundo o Ministério da Saúde palestiniano.

Centenas de pessoas reuniram-se em frente ao hospital, para onde Nabulsi foi levado por um grupo de homens armados, de acordo com o correspondente da AFP.

Foram ouvidos tiros quando dezenas de veículos militares israelitas bloquearam a circulação automóvel numa das maiores cidades da Cisjordânia.

Confrontos com o exército israelita também eclodiram em outras partes da cidade, quando os palestinianos atiraram pedras contra as tropas de Israel.

"Um confronto violento desenvolveu-se com dezenas de manifestantes que atiraram pedras e explosivos", refere o exército israelita, que respondeu através da "dispersão da multidão e fogo". "Vários feridos foram confirmados", disse o Exército.

"Todas as forças deixaram a cidade, não há baixas nas nossas fileiras", acrescentou.
As forças israelitas realizaram operações quase diárias na Cisjordânia nos últimos meses, concentrando-se em militantes do grupo Jihad Islâmica.

Este ataque ocorreu dois dias depois dos combates entre Israel e militantes da Jihad Islâmica na Faixa de Gaza terem sido interrompidos por um cessar-fogo. Mais de 40 palestinianos morreram, incluindo crianças.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG