SpaceX revela parceria para três novas missões, incluindo uma caminhada espacial inédita

A primeira missão, denominada de Polaris Dawn, está prevista para este ano e terá quatro tripulantes, incluindo o multimilionário Jared Isaacman e um piloto experiente, que será o comandante.

A SpaceX e o multimilionário Jared Isaacman, que regressou recentemente da sua primeira viagem ao espaço, revelaram na segunda-feira uma parceria para três novas missões, a primeira das quais prevista para este ano e que incluirá uma caminhada espacial.

A terceira missão será o "primeiro voo com humanos a bordo" do foguetão Starship, atualmente em desenvolvimento pela empresa de Elon Musk.

Este anúncio representa um novo marco para o setor privado de exploração espacial, visto que a SpaceX procura realizar missões cada vez mais ambiciosas, noticia a agência AFP.

"É um programa mini-espacial", explicou Isaacman, de 38 anos, durante uma conferência de imprensa.

O objetivo é desenvolver as "capacidades de voo espacial de longa duração" da SpaceX, com o "propósito final de facilitar a exploração de Marte", salientou o responsável da empresa financeira Shift4.

O programa, apelidado de Polaris em referência à estrela polar, é financiado pela SpaceX e por Jared Isaacman, embora o empresário se tenha recusado a dar números específicos.

Mas a quantia deve envolver a casa das centenas de milhões de dólares.

A primeira missão, Polaris Dawn [madrugada, em inglês] terá quatro tripulantes, incluindo Isaacman e um piloto experiente, que será o comandante.

Esta durará cinco dias e descolará da Florida, no mínimo, no "quatro trimestre do ano" a bordo do foguetão Falcon 9, que transporta atualmente astronautas da NASA para a Estação Espacial Internacional (ISS).

Caminhada espacial prevista para "uma altitude de cerca de 500 quilómetros"

A caminhada espacial, que será inédita para a empresa, está prevista para "uma altitude de cerca de 500 quilómetros" e deve servir de teste para os novos fatos espaciais desenvolvidos pela SpaceX, adaptados para estes passeios fora da nave.

A escotilha da cápsula Dragon estará aberta e, na ausência de uma câmara-de-ar, toda a tripulação ficará exposta ao vácuo do espaço.

A decisão sobre quem irá sair [da cápsula] será tomada durante o treino nos próximos meses, acrescentou Isaacman.

Em setembro, este multimilionário já tinha comprado um ligar na missão espacial Inspiration4, a primeira do mundo a enviar para o espaço apenas amadores, sem um astronauta profissional a bordo.

A nave da SpaceX atingiu uma altitude de 590 quilómetros da Terra, mais distante que a ISS.

Desta vez, a Polaris Dawn viajará "mais alto" do que qualquer missão tripulada da SpaceX até agora.

Jared Isaacman indicou que a altitude será semelhante à do programa Gemini da NASA, cuja 11.ª missão tinha subido até aos 1.370 quilómetros.

No entanto, essa distância continua muito longe dos aproximadamente 380.000 quilómetros que separam a Terra e a Lua, e que foram alcançados pelos astronautas da NASA durante o programa Apollo.

Além do próprio Jared Isaacman, a nave levará o piloto Scott Poteet, um veterano da Força Aérea dos EUA, que trabalhou para várias empresas do multimilionário e dois funcionários da SpaceX.

A primeira, Sarah Gillis, é responsável pelo programa de treino de astronautas da empresa e treinou o próprio Jared Isaacman para o Inspiration4. A segunda, Anna Menon, trabalhou sete anos para a NASA antes de ingressar na SpaceX.

Outro dos objetivos da missão será também recolher dados sobre a radiação a que a tripulação será exposta.

O primeiro voo tripulado do novo foguetão Starship será particularmente examinado, depois de ter sido selecionado pela NASA para ser o veículo que permitirá aos astronautas voltarem à superfície da Lua, no mínimo em 2025.

Elon Musk já tinha assegurado que a Starship chegará ao espaço pela primeira vez este ano, sem ninguém a bordo para começar.

No entanto, o cronograma para este primeiro teste continua suspenso até agora, devido a uma decisão da autoridade de aviação norte-americana (FAA) sobre as consequências ambientais dos voos orbitais para o Estado do Texas, onde a SpaceX está localizada.

Na segunda-feira, a FAA revelou a decisão foi adiada do final de fevereiro para o final de março.

Outro multimilionário, o japonês Yusaku Maezawa comprou oito bilhetes para pessoas do mundo inteiro o acompanharem numa viagem à volta da Lua, numa missão batizada de DearMoon e prevista para 2023.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG