Exclusivo Revés de Sunak na luta contra Truss para suceder ao desaparecido Boris

Resultado da corrida à liderança do Partido Conservador é conhecido dentro de um mês. Apesar de ter os dias contados na chefia do governo, primeiro-ministro está de férias.

Atrás nas sondagens na corrida à liderança do Partido Conservador, o ex-ministro das Finanças britânico Rishi Sunak teve pouco tempo para festejar a vitória no último frente a frente televisivo com a chefe da diplomacia, Liz Truss. A um mês da data prevista para se saber qual dos dois será o próximo líder - e primeiro-ministro do Reino Unido - e numa altura em que a adversária continua a acumular apoios importantes, apareceu um vídeo em que Sunak admite que desviou dinheiro público de zonas urbanas desfavorecidas para dar a outras partes do país. Enquanto isso, em plena crise económica e a um mês de deixar a chefia do governo, Boris Johnson está desaparecido em lua-de-mel na Eslovénia.

Apesar de ter ganho a votação entre os deputados conservadores - que dos oito candidatos oficiais a suceder a Johnson tiveram que reduzir a lista a apenas dois -, Sunak partia desde o início em desvantagem na hora de passar a decisão aos militantes. Na primeira sondagem a dois, o ex-ministro das Finanças - cuja saída do governo foi uma das que precipitou a renúncia de Johnson - tinha apenas 38%, face aos 62% de Truss. Duas semanas depois, ainda está pior: não vai além dos 31%, com a chefe da diplomacia a chegar aos 69%.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG