Morreram duas das pessoas atingidas por relâmpago perto da Casa Branca

Quatro pessoas foram atingidas por um raio quando procuravam abrigar-se de uma tempestade debaixo de uma árvore num parque.

Duas das quatro pessoas que tinham ficado em estado crítico após terem sido atingidas quinta-feira por um relâmpago perto da Casa Branca acabaram por morrer esta sexta-feira, disseram as autoridades na capital dos EUA.

O raio atingiu um pequeno parque do outro lado da rua da Casa Branca, deixando dois homens e duas mulheres com "ferimentos críticos e em risco de vida", de acordo com um comunicado do departamento de bombeiros e emergências de Washington.

O raio atingiu a Lafayette Square, um pequeno parque do outro lado da rua da Casa Branca, pouco antes das 19h (23h GMT) de quinta-feira, deixando dois homens e duas mulheres com "ferimentos críticos com risco de vida", de acordo com um comunicado do governo de Washington. Corpo de Bombeiros e Emergências.

Todas as vítimas foram levadas para hospitais locais, mas na manhã desta sexta-feira a Polícia Metropolitana confirmou que dois deles - Donna Mueller, 75 anos, e James Mueller, 76 anos, ambos de Janesville, Wisconsin - foram declarados mortos. Os outros dois adultos permanecem em estado crítico, disse a polícia.

Uma porta-voz da Casa Branca disse que o governo Biden estava "triste com a trágica perda de vidas". "Estamos a rezar por aqueles que ainda lutam por suas vidas", acrescentou a secretária de imprensa Karine Jean-Pierre em comunicado.

Fotografias publicadas nas redes sociais mostraram várias ambulâncias e pelo menos um camião de bombeiros a trabalhar no local.

Uma forte tempestade atingiu a capital americana na noite de quinta-feira, o que levou estas quatro pessoas a procurar abrigo debaixo de uma árvore num parque.

"As árvores não são lugares seguros", disse o porta-voz do corpo de bombeiros Vito Maggiolo. "Qualquer um que vai procurar abrigo debaixo de uma árvore, é um lugar muito perigoso para se estar", acrescentou, citado pelo The Washington Post.

Uma testemunha do relâmpago descreveu-o como "brutal". "Agitou toda a área. Foi literalmente como se uma bomba tivesse explodido, era assim que soava", descreveu.

Em média, 23 pessoas morrem por ano no Estados Unidos vítimas de relâmpagos. Em 2022 já morreram nove.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG