Reino Unido avisa que subvariante da delta é potencialmente mais contagiosa

As autoridades de saúde britânicas informaram que estão a analisar a nova subvariante AY4.2 que deriva da variante delta da covid-19 e que circula atualmente no Reino Unido. Os primeiros resultados mostram que aparenta ser mais contagiosa, embora não pareça ser mais mortífera ou resistente às vacinas.

"A variante "AY4.2 representou na semana passada 6% do total de casos no Reino Unido", informou no seu boletim semanal a Agência de Segurança em Saúde britânica, que afirmou que "atualmente estão a investigar" esta subvariante. Até o momento, não é "uma variante preocupante", acrescenta o agência.

"Dados preliminares parecem demonstrar que possui níveis de transmissão mais altos em relação à variante delta", explicou a agência de saúde pública britânica, acrescentando que são necessários "testes adicionais para determinar se isso está relacionado a uma mudança no comportamento do vírus ou a condições epidemiológicas".

No entanto, esta nova subvariante "não parece provocar uma versão mais grave da doença ou fazer com que as vacinas atuais sejam menos eficazes", destacou a agência do Reino Unido.

A subvariante da delta está a gerar preocupação num momento em que Reino Unido se tornou um dos países com o maior número de casos de coronavírus no mundo.

Depois de ter registado na quinta-feira mais de 50.000 casos pela primeira vez em três meses, nesta sexta foram detetados 49.298 positivos e 180 mortes, elevando para 139.326 mortes o total ao longo da pandemia no Reino Unido.

Em Portugal, o investigador do Instituto Nacional de Saúde (INSA) João Paulo Gomes afirmou na última quinta-feira que a nova sublinhagem da variante Delta do vírus SARS-CoV-2 não tem tendência crescente em Portugal nem há provas de que afete a eficácia das vacinas.

Em Portugal não são ainda mais do que 10 casos da nova sublinhagem AY.4.2, espalhados nas últimas semanas, e alguns deles têm ligação ao Reino Unido, onde apresenta alguma relevância epidemiológica, disse o investigador.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG