Primeiro caso da Ómicron em Macau em residente regressado dos EUA

Este é o 78.º caso confirmado de covid-19 registado no território desde o início da pandemia, todos importados, indicou o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus.

Macau diagnosticou esta segunda-feira o primeiro caso da variante Ómicron do novo coronavírus, num residente de 23 anos regressado dos Estados Unidos, anunciaram as autoridades.

Este é o 78.º caso confirmado de covid-19 registado no território desde o início da pandemia, todos importados, indicou o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus.

"O caso foi diagnosticado num homem de 23 anos, residente de Macau, que partiu dos Estados Unidos no dia 23 de dezembro e chegou a Macau via Singapura" no dia de Natal, indicaram os serviços, em comunicado.

O Laboratório de Saúde Pública "sequenciou o genoma do vírus, cujo resultado mostrou que o doente foi infetado com a variante Ómicron do vírus", esclareceram.

O Centro afirmou que "a variante Ómicron do novo tipo de coronavírus é mais infecciosa do que a variante delta e apelou aos residentes de Macau no exterior para seguirem o princípio de 'viajar só se for estritamente necessário', de forma a minimizar as viagens desnecessárias".

A covid-19 provocou mais de 5,39 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como preocupante pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, em 24 de novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 89 países de todos os continentes, incluindo Portugal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG