Pequim exige mais "respeito" de Hollywood pela cultura e costumes chineses

O Governo chinês pediu à indústria cinematográfica norte-americana mais "respeito" à cultura e aos costumes do país asiático, que recentemente proibiu a estreia de grandes produções de Hollywood nos cinemas.

O vice-ministro do Departamento de Publicidade do Comité Central do Partido Comunista, Sun Yeli, espera que "a qualidade dos filmes americanos possa ser melhorada", levando em consideração as idiossincrasias chinesas.

"Importaremos de qualquer país que faça melhores filmes e mais adequados ao gosto do público chinês", disse Sun Yeli, numa declaração pública invulgar sobre o assunto, de acordo com a agência de notícias Bloomberg.

A China é considerada o maior mercado de filmes do mundo e tornou-se uma importante fonte de receita para a indústria de Hollywood.

Segundo o governante, 41% das películas adquiridas na última década são norte-americanas.

A quota, no entanto, desabou em 2021, provavelmente devido ao crescente nacionalismo do Presidente chinês, Xi Jinping, que quer conter a influência ocidental também no campo da cultura.

No último ano, 28 filmes de Hollywood foram estreados na China e representaram 12% das receitas de bilheteira, de acordo com a plataforma chinesa de bilhetes Maoyan Entertainment.

Até agora, em 2022, a China importou 18 produções cinematográficas norte-americanas, representando 11% do total de vendas de ingressos. As crescentes tensões políticas também não estão a ajudar a expandir o mercado.

Entre os filmes recentes proibidos pelo Governo chinês estão "Top Gun: Maverick", no qual Pequim vê uma ode ao Exército dos Estados Unidos, e vários do Universo Cinematográfico da Marvel.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG