Pelo menos cinco decapitados em novos ataques terroristas em Moçambique

Novo surto de violência de jihadistas no norte de Moçambique

Pelo menos cinco pessoas foram decapitadas num novo surto de violência islâmica no norte de Moçambique, informou a polícia nesta quarta-feira (25), mas outras fontes falam em pelo menos 10 pessoas decapitadas em três ataques a aldeias de Cabo Delgado e outras várias raptadas, na sequência de uma série de ofensivas levadas a cabo por grupos terroristas ligados ao Estado islâmico.

"Na sexta-feira passada, terroristas invadiram algumas fazendas numa primeira aldeia no distrito de Macomia e decapitaram três cidadãos e sequestraram algumas mulheres", disse à AFP o chefe da polícia provincial, Vicente Chicote. "Depois disso eles foram para outra fazenda onde decapitaram mais pessoas", acrescentou.

No domingo, os insurgentes atacaram a vila de Chicomo, onde começaram um tiroteio com as forças militares, disse Chicote.
Na quarta-feira, os insurgentes realizaram ataques incendiários em mais uma vila em Macomia, acrescentou. Esta é a maior onda de violência deste ano no norte de Moçambique.

Quase 4.000 pessoas foram mortas e 820.000 deslocadas desde que a ameaça jihadista eclodiu no norte de Moçambique em outubro de 2017.

Mais de 3.100 soldados de vários países africanos deslocaram-se para a conturbada província de Cabo Delgado desde julho do ano passado e retomaram grande parte do território, mas os recentes episódios mostram que a ameaça jihadista ainda não está controlada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG