Morreu Nino Cerruti, pioneiro da moda italiana

Estilista tinha sido internado para uma cirurgia à anca

O estilista Nino Cerruti, um dos nomes pioneiros da moda italiana e internacional, morreu este sábado (15) aos 91 anos, confirmou uma fonte da indústria da moda à AFP, após relatos dos media italianos.

Cerruti morreu no hospital Vercelli, na região noroeste do Piemonte, onde havia sido internado para uma operação à anca, informou o jornal italiano Corriere della Sera.

O estilista foi uma das principais figuras do prêt-à-porter masculino do século XX, com um estilo ao mesmo tempo elegante e descontraído. No seu auge, as suas peças vestiram muitas estrelas de Hollywood.

Cerruti herdou o negócio aos 20 anos, com a morte do seu pai, interrompendo os seus estudos de filosofia e jornalismo e dedicando-se de corpo e alma ao mundo da moda.

Ficou também ligado ao lançamento de outro grande nome da moda italiana e mundial quando, em meados dos anos sessenta, contratou um então jovem Giorgio Armani para colaborar nos seus ateliês Fratelli Cerruti.

Nascido em 1930 e descendente de uma família de industriais têxteis da província de Biella (norte de Itália), Nino Cerruti foi um dos grandes ícones da moda do século XX, devido às suas ideias revolucionárias, como a primeira 'jaqueta desconstruída', criada durante os anos setenta.

O estilista italiano começou a ganhar notoriedade mundial em 1957, ano em que apresentou em Milão a sua primeira coleção, designada "Hitman".

Em 1962 fundou a marca "Flying Cross", com Osvaldo Test, e, em 1967, abriu a primeira boutique Cerruti 1881, em Paris.

Na década de 70 surgiu a linha feminina, que vinte anos depois representaria 20% da faturação total da empresa, e foi lançado o primeiro perfume masculino vinculado à marca ("Nino Cerruti").

A popularidade da marca aumentou ainda mais em 1994 quando foi nomeada a desenhadora oficial da equipa Ferrari da Fórmula 1.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG