Líder da máfia detido em Espanha. E tinha documentos falsos portugueses

Domenico Paviglianiti era um dos homens mais procurados de Itália, tendo sido condenado a prisão perpétua em 1996 pelos crimes que cometeu nos anos 1980 e 1990 - incluindo homicídios e tráfico de droga.

A polícia espanhola anunciou a detenção em Madrid do líder da 'Ndrangheta, numa operação conjunta com os Carabinieri italianos. A máfia calabresa controla a maior parte do tráfico de cocaína na Europa e Domenico Paviglianiti era um dos homens mais procurados de Itália.

As autoridades conseguiram localizar o mafioso na capital espanhola, onde este vivia com documentos portugueses falsos. Segundo o El Mundo, Paviglianiti tinha seis telemóveis e 6000 euros em notas com ele no momento da detenção, em plena rua, no bairro de Cuatro Caminos.

O capo (chefe da máfia) controlava as operações da máfia calabresa no Norte de Itália e na América do Sul. Era procurado pelo seu envolvimento nos crimes cometidos nos anos 1980 e 1990, incluindo homicídio e tráfico de droga.

Detido pela primeira vez em Espanha em 1996, três anos depois foi extraditado para Itália, onde começou a cumprir uma pena perpétua. Mas os seus advogados alegaram que as condições da extradição a partir de Espanha não incluem a pena de prisão perpétua - uma questão técnica que permitiu a sua libertação após cumprir uma pena de 20 anos de prisão.

Em 2019, o ministério público italiano voltou a emitir um mandado de captura depois de um tribunal ter decidido que fora libertado devido a um erro.

A polícia espanhola detetou a família de Paviglianiti em Barcelona, onde o mafioso viveu alguns meses antes de se mudar para Madrid.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG