Kamala Harris diz que a retirada de pessoas do Afeganistão é a prioridade dos EUA

A vice-presidente norte-americana afirma que a retirada de cidadãos ligados a Washington ou em situação particularmente vulnerável é a prioridade neste momento.

A vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, afirmou esta segunda-feira que a única prioridade do seu país no Afeganistão neste momento é a retirada de cidadãos norte-americanos e afegãos ligados a Washington ou em situação particularmente vulnerável

"Não nos podemos distrair de forma alguma de nossa missão prioritária: retirar as pessoas que merecem ser retiradas", declarou Harris durante conferência de imprensa em Singapura, em conjunto com o primeiro-ministro da cidade-estado, Lee Hsien Loong, no início da sua viagem ao Sudeste Asiático, que a levará ao Vietname na terça-feira.

A vice-presidente evitou avaliar possíveis erros na retirada das tropas norte-americanas do Afeganistão e lembrou o trabalho dos militares para repatriar o pessoal da embaixada sem baixas dos Estados Unidos e o controlo do aeroporto de Cabul para garantir a retirada de milhares de pessoas após a tomada do poder pelos talibãs.

"Haverá tempo para analisar o que aconteceu. Estamos focados em retirar os cidadãos norte-americanos, os afegãos que trabalharam connosco e aqueles que estão em situação vulnerável, incluindo mulheres e crianças. É nossa única prioridade", enfatizou.

Milhares de pessoas aglomeram-se na entrada do Aeroporto Internacional Hamid Karzai, em Cabul, com o objetivo de embarcar num dos aviões, em meio ao medo que existe após a tomada de Cabul pelos talibãs há uma semana.

De acordo com estimativas da Casa Branca, ainda há entre 10.000 e 15.000 norte-americanos no Afeganistão que precisam ser retirados, além de 50.000 a 65.000 afegãos e suas famílias que os Estados Unidos também querem fazer sair do país.

Os Estados Unidos retiraram 7.800 pessoas do Afeganistão no sábado, elevando o total na semana passada para cerca de 25.000. O número representa uma aceleração significativa em relação ao índice registado nos últimos dias, quando não foram ultrapassados os 4.000 pessoas por dia.

A vice-presidente norte-americana apresentará o seu apoio à segurança na região durante uma visita hoje à base militar de Changi, em Singapura, e encerrará a sua visita ao Estado-nação na terça-feira com uma reunião com empresários, onde exporá a necessidade de fortalecer as cadeias de abastecimento em o mundo.

Depois parte na terça-feira para o Vietname, onde na quarta-feira se reunirá com dirigentes do país, com quem os EUA estreitaram relações nos últimos anos e que se tornou uma alternativa à China como polo fabril de grandes empresas do país.

A viagem de Harris, que se tornará a primeiro vice-presidente dos Estados Unidos a fazer uma visita oficial ao Vietname, é vista pelos analistas como mais um passo na estratégia de Biden para ganhar influência numa região onde a China fortaleceu a sua presença durante o mandato de Donald Trump.

Harris chegou a Singapura apenas um mês após a visita do secretário de Defesa norte-americano, Lloyd Austin, a Singapura, Vietname e Filipinas e às várias reuniões virtuais que o secretário de Estado, Anthony Blinken, manteve com os ministros dos Negócios Estrangeiros da região.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG