Exclusivo "Grande parte do salto que a Extremadura vai dar é porque não tenho de perder tempo em discussões inúteis"

O presidente do governo da Extremadura, Guillermo Fernández Vara, sente-se um privilegiado por governar em maioria absoluta. Ao DN, no final de uma visita a Lisboa, o socialista falou da relação "próxima de perfeita" com Portugal, da amizade com António Costa e da situação política espanhola.

Teve uma agenda preenchida em Lisboa, com encontros com o primeiro-ministro António Costa, o presidente da câmara, com empresários e a apresentação do Festival de Teatro Clássico de Mérida. Como está hoje a relação entre Extremadura e Portugal?
Diria que a relação entre a Extremadura e Portugal está muito próxima de ser perfeita. Como em tudo na vida, as pessoas têm influência. As pessoas não aproximam os territórios, mas fazem com que não se afastem. Além da habitual boa relação entre Extremadura e Portugal há, a nível pessoal, uma excelente relação com o primeiro-ministro António Costa.

É importante, para si, ter aqui um governo socialista também?
Além de companheiro socialista, ele é um bom amigo há muito tempo. Quando ele se candidata às eleições, eu venho fazer campanha a Portugal, como se as eleições também fossem minhas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG