Bill Cosby vai ser libertado. Tribunal anula condenação por agressão sexual

Cumpriu mais de dois anos da pena a que foi condenado.

O comediante Bill Cosby vai ser libertado depois da decisão desta quarta-feira do Supremo Tribunal da Pensilvânia em anular a condenação por agressão sexual.

"As condenações de Cosby e o julgamento foram anulados e ele foi libertado", escreveu o tribunal numa decisão de 79 páginas.

Bill Cosby, de 83 anos, que foi protagonista da série televisiva "The Cosby Show", cumpriu mais de dois anos de uma sentença de três a dez anos por agressão sexual, não ficando claro quando seria libertado.

"Temos de receber, autenticar e rever os documentos judiciais antes de seguirmos em frente", disse à AFP um porta-voz do Departamento de Correções da Pensilvânia.

Foi condenado por drogar e agredir sexualmente Andrea Constand, factos que remontam a 2004

Em 2018, o comediante foi condenado por drogar e agredir sexualmente Andrea Constand na sua mansão em Filadélfia. Os factos remontam a 2004.

Este foi a primeira sentença efetiva por agressão sexual contra uma celebridade desde que começou o movimento #MeToo, em que foram denunciados abusos sexuais em Hollywood.

Um processo judicial anterior terminou com um julgamento anulado em junho de 2017, depois de o júri não ter conseguido chegar a um veredicto unânime.

Apesar de ter sido acusado por 60 mulheres, que afirmaram terem sido vítimas de agressão sexual por Cosby, o comediante foi julgado criminalmente apenas pela agressão de Constand, uma vez que o prazo de prescrição tinha expirado nos restantes casos.

Cosby interpôs um segundo recurso contra a condenação em agosto do ano passado. Os advogados argumentaram que cinco mulheres não deveriam ter sido autorizadas a depor no seu julgamento como testemunhas.

A defesa considerou que as alegações de "décadas", que não faziam parte das acusações, prejudicaram o júri.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG