Bebé de seis meses recebe vacina chinesa por engano no Chile

Governo já veio pedir desculpas pelo sucedido e o bebé está a ser acompanhado. A Sinovac não é aconselhável a menores de 16 anos.

O Governo do Chile tem vindo a reconhecer vários erros na campanha de vacinação no país, incluindo a mistura de diferentes fármacos em alguns casos, e agora até a inoculação de um bebé de seis meses com a vacina chinesa Sinovac, apesar de esta não ser recomendada para menores de 16 anos.

Outro caso ocorreu no centro comunitário de San Bernardo, na região metropolitana de Santiago. Dez pessoas receberam inicialmente a vacina da Pfizer e depois tomaram a segunda dose da Sinovac.

O Governo está a investigar a situação, mas minimizou o assunto. O ministro da saúde Enrique Paris disse que este tipo de situações já estavam contempladas e que é algo que "acontece em todo o mundo e já aconteceu em outras campanhas de vacinação". O ministro disse também que as pessoas afetadas "não correm perigo", segundo o jornal La Tercera.

Enrique Paris e a subsecretária de saúde Paula Daza, contudo, pediram perdão em nome do executivo pela vacinação de um bebé de seis meses em Villarrica, prometendo que "todas as medidas" necessárias serão adotadas. O governo chileno quis tranquilizar a família e prometeu que vai seguir com atenção a situação do bebé.

O Chile, recorde-se, vacinou mais de cinco milhões de pessoas pelo menos com a primeira dose de uma das vacinas contra o SARS-CoV-2, um número que incluiu toda a população considerada de risco e que foi atingido 15 dias antes do previsto.

"Com a participação e mérito de todos conseguimos vacinar cinco milhões de pessoas, o que corresponde à nossa população de risco e fizemo-lo 15 dias antes da meta [delineada]", escreveu o Presidente do Chile, Sebastián Piñera, na rede social Twitter.

Piñera acrescentou que o próximo passo será a vacinação "da população saudável com 59 anos ou menos", até que estejam todos os chilenos inoculados.

"Deste modo protegemos a saúde e a vida dos chilenos", finalizou o chefe de Estado, através de um 'tweet' que foi acompanhado de um GIF onde era possível ler "mais de 5.000.000 de pessoas foram vacinadas em todos os cantos do Chile".

A meta final do Governo chileno é a vacinação total da população (o país tem cerca de 15 milhões de habitantes) até junho.

O país tem garantidas 35 milhões doses de várias vacinas desenvolvidas para o aparecimento de sintomatologia grave associada à infeção pelo SARS-CoV-2, através da plataforma COVAX, da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O Chile começou a campanha de vacinação em 3 de fevereiro e até hoje é o quinto país a nível mundial que mais habitantes vacinou (cerca de 36% da população), apenas ultrapassada por Israel, os Emirados Árabes Unidos e o Reino Unido, de acordo com a informação disponibilizada pelo One World Data, da Universidade de Oxford (Reino Unido).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG