Autoridades pró-russas vão pedir a Putin anexação da região de Kherson

Representante das autoridades pró-Moscovo em Kherson informou que, até ao final do ano, a região planeia "adotar por completo a legislação da Federação Russa".

As autoridades pró-russas vão pedir ao presidente russo, Vladimir Putin, que anexe a região ucraniana de Kherson à Rússia, anunciou esta quarta-feira um representante das autoridades instaladas por Moscovo, citado pela agência oficial russa RIA Novosti.

"Será feito um pedido [ao presidente russo] para integrar a região de Kherson como uma província de pleno direito da federação russa", afirmou o diretor-adjunto da administração militar-civil da Federação Russa, Kirill Stremoussov, em declarações feitas a agências de notícias russas.

A região de Kherson foi conquistada pelo exército russo durante a ofensiva lançada em fevereiro por Moscovo contra a Ucrânia.

Stremoussov descartou a hipótese de realizar um referendo sobre a criação de uma república popular, à semelhança das autoproclamadas repúblicas de Lugansk e Donetsk, reconhecidas pela Rússia como estados independentes três dias antes do início da campanha militar na Ucrânia.

O responsável acrescentou também que, até ao final do ano, a região planeia "adotar por completo a legislação da Federação Russa".

Stremousov já tinha anunciado, no final de abril, que Kherson, ocupada e controlada por tropas russas, iria começar a usar rublos em maio, afastando a possibilidade de a região voltar a ser controlada pela Ucrânia.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou mais de três mil civis, segundo a ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A ofensiva militar causou a fuga de mais de 13 milhões de pessoas, das quais mais de 5,5 milhões para fora do país, de acordo com os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Habitantes de Kherson é que decidem se região é anexada

O destino da região ucraniana de Kherson, controlada pelas tropas russas, deve ser decidido pelos seus habitantes, defendeu esta quarta-feira a Presidência russa (Kremlin), depois de as autoridades pró-russas daquela região terem avançado que vão pedir a anexação pela Rússia.

"São os habitantes da região de Kherson que devem decidir se haverá ou não um pedido [de entrada]" na Federação Russa, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, na sua conferência de imprensa diária.

Segundo o mesmo responsável, as autoridades pró-Rússia estão também a negociar a abertura de um banco russo com filial em Kherson já no final de maio.

Sublinhando que "são os habitantes de Kherson que devem decidir seu futuro", o Kremlin assegurou que o eventual pedido de admissão na Federação Russa deve ser avaliado "de forma exaustiva" por juristas.

"Estas decisões devem ter um fundo legal absolutamente claro e ser absolutamente legítimas, como foi o caso da Crimeia", onde foi realizado um referendo em 2014, disse o porta-voz do Kremlin.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG