Aung San Suu Kyi condenada a mais três anos de prisão por corrupção

Aung San Suu Kyi já tinha sido condenada a 23 anos de prisão por várias acusações, incluindo fraude eleitoral e corrupção. E enfrenta ainda acusações em que arrisca um total de mais de 120 anos atrás das grades.

A antiga líder civil de Myanmar (antiga Birmânia) Aung San Suu Kyi foi condenada a mais três anos de prisão por dois casos de corrupção, disse esta quarta-feira fonte próxima do caso à agência de notícias France-Presse.

A prémio Nobel da Paz, de 77 anos, derrubada num golpe militar em fevereiro de 2021 e que se encontra detida em isolamento numa prisão da capital Naypyidaw, é objeto de um longo julgamento que a comunidade internacional diz ser politicamente motivado.

A ex-governante foi condenada por aceitar um total de 550 mil dólares (566 mil euros) em subornos de um homem de negócios, Maung Weik, disse a mesma fonte.

Aung San Suu Kyi já tinha sido condenada a 23 anos de prisão por várias acusações, incluindo fraude eleitoral e corrupção. E enfrenta ainda acusações em que arrisca um total de mais de 120 anos atrás das grades.

Detida aquando do golpe, que pôs fim a uma década de transição democrática em Myanmar, Aung San Suu Kyi foi colocada em isolamento numa prisão de Naypyidaw.

O julgamento, que começou há mais de um ano, está a decorrer nesta prisão na capital birmanesa, à porta fechada, com os advogados de defesa proibidos de falar com a imprensa e organizações internacionais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG