Após 32 anos, Trump deixa sindicato de atores. "Não fizeram nada por mim"

Ex-presidente dos EUA enfrentava processo disciplinar que podia ditar a sua expulsão. Trump recordou a sua participação em filmes e séries de televisão, acusando a SAG-AFTRA de nada fazer por ele

A braços com um processo disciplinar que poderia ditar a sua expulsão, Donald Trump decidiu abandonar um dos maiores sindicatos de atores e artistas de televisão e rádio, que representa cerca de 160 mil profissionais e no qual estava filiado desde 1989. Mas, ao bater com a porta, o ex-presidente dos Estados Unidos não escondeu a sua revolta.

Numa carta endereçada à presidente da SAG-AFTRA (Screeen Actors Guild - Federação Americana de Artistas de Televisão e Rádio), Gabrielle Carteris (atriz que entrou em séries com Bervely Hills), Trump recorda participações que fez em filmes como Sozinho em Casa 2 ou em séries de televisão como o reality show The Apprentice, que não só foi um enorme sucesso de audiência como ajudou a vender uma imagem de sucesso do empresário junto do grande público - foi neste concurso, que avaliava as aptidões dos concorrentes para os negócios, que se popularizou a expressão "You're fired", usada por Trump sempre que alguém era eliminado.

A SAG-AFTRA abriu o inquérito contra Trump por considerar que este teve um papel ativo no incitamento da invasão do Capitólio a 6 de janeiro, o mesmo motivo que abriu um segundo processo de impeachment contra o ex-presidente republicano. Na carta, sobre a possibilidade de ser expulso do sindicato Trump questiona: "Quem é que se interessa?".

"Embora o seu trabalho não me seja familiar, eu sinto muito orgulho do que fiz em filmes como Home Alone 2, Zoolander, Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme [a cena que gravou com Michael Douglas acabou por ser cortada na versão final do filme]; e shows de televisão que incluem O Príncipe de Bel-Air, Saturday Night Live e, claro, um dos shows de maior sucesso na história, The Apprentice - só para nomear alguns", escreve Trump.

Veja abaixo algumas das participações de Trump em cinema e televisão.

A seguir garante que foi graças a ele que sobreviveram alguns canais de informação: "Também ajudei bastante o negócio dos canais de notícias por cabo (que diziam ser uma plataforma que estava a morrer, sem muito tempo de vida, até eu me envolver na política), criando milhares de empregos em cadeias como a MSDNC [Trump troca reiteradamente o nome da MSNBC, para insinuar que a a cadeia serve os interesses do partido democrata e do seu comité nacional - DNC] e Fake News CNN, entre muitos outros".

Trump acusa o sindicato de "pouco fazer" pelos seus filiados além de "cobrar taxas" e "promover ideias perigosas e não americanas". Termina a missiva a dizer que não quer continuar associado ao sindicato, acrescentando: "Não fizeram nada por mim".

A SAG-AFTRA emitiu posteriormente um comunicado a responder a Trump, onde lê apenas: "Obrigado".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG