Os "pequenos avanços" e "as poderosas explosões" que a Ucrânia não consegue travar

Forças russas conquistam terreno a Leste e lançam ataques aéreos a Sul. Depois de Mariupol e Severodonetsk, há dois alvos na mira de Moscovo: Mykolaiv, porta de acesso a Odessa, e Lysychansk, a última grande cidade de Lugansk.

Artur Cassiano
Desde o início de junho que Lysychansk é bombardeada© EPA/OLEKSANDR RATUSHNIAK

Mykolaiv, a Sul, separada de Kherson por um braço de mar, e Lysychansk, mais a norte para Leste, perto de Severodonetsk, concentram as últimas horas de guerra - no terreno e na propaganda militar.

Lysychansk, praticamente cercada, segundo as imagens de satélite do Institute for the Study of War, e onde as forças russas continuam a alcançar "pequenos avanços" com ataques aéreos e de artilharia, segundo os serviços secretos britânicos, é o mais recente foco de ataque por parte de Moscovo e dos separatistas pró-russos depois de Mariupol e Severodonetsk.

As forças pró-russas reclamam ter rodeado completamente a cidade e preparam "em breve um ataque de larga escala. O inimigo não tem para onde ir, já que todas as entradas e saídas da cidade estão bloqueadas. Romper o denso anel do cerco não funcionará, mesmo se o tentarem com todas as forças".

O assessor do ministro do Interior da autoproclamada república popular de Lugansk, Vitali Kiselev, assegurou à TASS que Lysychansk, último bastião de Kiev na região de Lugansk, cairá nos "próximos dois dias", totalmente sob controlo dos pró-russos, enquanto Andrei Marochko, porta-voz da milícia separatista, fala de "um futuro próximo". O Ministério da Defesa da Rússia ainda não confirmou as afirmações dos pró-russos.

Por seu lado, Exército ucraniano nega a existência de qualquer cerco. "Os combates decorrem em redor de Lysychansk. Felizmente, a cidade não está cercada e está sob controlo do exército ucraniano", garantiu o porta-voz da Guarda Nacional da Ucrânia, Rouslan Mouzytchouk.

Lysychansk é a última grande cidade da região de Lugansk, no Donbass, que ainda não está nas mãos dos russos, numa região industrial largamente russófona e parcialmente controlada pelos separatistas pró-russos desde 2014 .

A cidade, que antes do início da guerra tinha cerca de 100 mil habitantes, está colada a Severodonetsk, conquistada na passada semana por Moscovo depois da retirada das forças ucranianas.

As duas cidades são separadas pelo rio Donets, o principal afluente do rio Don.

A tomada de Lysychansk permitirá ao exército russo avançar em direção a Sloviansk, cerca de 60 quilómetros a oeste, e a Kramatorsk, duas outras grandes cidades na região de Donetsk.

Mykolaiv, perto de Odessa, foi ontem alvo de ataques com 10 mísseis que "causaram poderosas explosões" em instalações portuárias e infraestruturas industriais. Os mísseis de alta precisão foram disparados a partir da cidade de Kherson.

Mykolaiv está localizada na rota para Odessa, o maior porto da Ucrânia, que dista 130 quilómetros a sudoeste.

O ministério da Defesa da Rússia garante ainda ter destruído nas últimas 24 horas cinco postos de comando ucranianos na região do Donbass e em Mykolaiv e três armazéns de armas na região de Zaporizhzhia.