Funeral de príncipe Filipe. Família real não vai usar uniformes militares "para evitar envergonhar Harry"

O duque de Sussex perdeu os títulos militares quando deixou de ser membro sénior da família real.

DN/AFP
Príncipe Harry© Tolga AKMEN / AFP

No funeral do duque de Edimburgo, marcado para sábado (17 de abril), os membros seniores da família real não vão usar uniformes militares. Uma quebra na tradição "para evitar envergonhar" o príncipe Harry, noticiam esta quinta-feira vários meios de comunicação britânicos.

Quando decidiu deixar de ser um membro sénior da família real, o duque de Sussex perdeu todos os títulos militares. O príncipe Harry seria assim a único homem da família real a não usar o uniforme militar, embora tenha feito duas missões no Afeganistão. O protocolo estabelece que deve usar um traje civil, podendo, no entanto, usar as suas medalhas, como conta o The Guardian.

A questão do uniforme militar também poderia suscitar divergências em relação ao príncipe André. O duque de York, que serviu na guerra das Malvinas, está afastado das funções reais, na sequência da polémica amizade com Jeffrey Epstein, empresário norte-americano acusado de tráfico sexual.

Terá sido a rainha Isabel II, segundo o The Sun, a resolver a situação, sendo sua vontade que, para evitar constrangimentos, todos os membros da família optem pelo traje civil no funeral do príncipe Filipe, que morreu na passada sexta-feira (9 de abril), aos 99 anos.

De acordo com o Daily Telegraph, ocorreram "discussões intensas" no seio da família real sobre a questão dos uniformes dos príncipes André e Harry.

O jornal indica que a decisão, em última instância, cabe à rainha, enquanto o The Sun cita fontes dando conta que Isabel II "interveio pessoalmente" para sugerir a regra do vestuário civil.

A decisão fará com que a família real se apresente numa frente unida, pelo menos na indumentária, enquanto o funeral terá um forte elemento militar devido ao passado do príncipe Filipe como comandante da Marinha Real Britânica.

É no funeral do avô, o duque de Edimburgo, que o príncipe Harry será visto pela primeira vez em público com a família real desde que ele e a mulher, Meghan Markle, deram uma polémica entrevista a Oprah Winfrey, realizada no mês passado, em que fizeram várias críticas, incluindo acusações de racismo a membros não identificados da família real britânica.

Cerimónia restringida a 30 pessoas devido à pandemia

O funeral do príncipe Filipe realiza-se no sábado, na capela de São Jorge, no castelo de Windsor, uma cerimónia que irá contar com 30 pessoas, seguindo as restrições do Governo britânico no âmbito da pandemia de covid-19.

A cerimónia, de caráter privado, será transmitida pela televisão e em todo o Reino Unido será guardado um minuto de silêncio, no início do funeral, que terá honras reais e não de Estado, cumprindo um pedido em vida do príncipe Filipe, marido da Rainha Isabel II.

O duque de Edimburgo participou ativamente na preparação do seu funeral, incluindo no projeto de modificação do veículo, um jipe, que transportará o seu caixão, que será seguido pela família real.

"Embora os arranjos cerimoniais sejam reduzidos, a ocasião celebrará e reconhecerá a vida do duque e dos seus mais de 70 anos de serviço à Rainha, ao Reino Unido e à comunidade", disse um porta-voz do palácio.

O palácio de Buckingham pediu às pessoas para não se deslocarem até Windsor, sugerindo que aqueles que quiserem prestar homenagem o façam em casa, vendo a cerimónia pela televisão.