Detido suspeito do homicídio de Diana Santos, portuguesa encontrada morta em França

O suspeito, de nacionalidade marroquina, tio do homem com quem a portuguesa vivia em Diekirch, no Luxemburgo, ficou em prisão preventiva.

DN
© JEAN-CHRISTOPHE VERHAEGEN / AFP

Foi detido no Luxemburgo um suspeito da morte de Diana Santos, que foi encontrada morta em França. De acordo com o jornal Contacto, a polícia luxemburguesa deteve Said Banhakeia, de nacionalidade marroquina, tio do homem com quem a portuguesa vivia em Diekirch, no Luxemburgo.

O homem, de 48 anos, foi detido na quinta-feira e foi hoje presente ao juiz de instrução, que decretou a prisão preventiva, de acordo com o Ministério Público. Aguarda agora julgamento na prisão de Schrassig.

Said Banhakeia é suspeito de estar envolvido no homicídio de Diana Santos, de 40 anos, cujo corpo foi encontrado desmembrado em Mont-Saint-Martin, na comuna francesa de Meurthe-et-Moselle, perto da fronteira com o Luxemburgo, a 19 de setembro.

Os resultados da autópsia do corpo da mulher não revelaram quaisquer vestígios de ferimentos de bala ou facadas ou violência sexual.

Provavelmente foi morta "nas 24 horas que antecederam a descoberta do corpo, obviamente "desmembrado em outro local", revelou o procurador François Pérain.

Diana Santos, natural do Porto, vivia no Luxemburgo há "cerca de quatro ou cinco anos", de acordo com as declarações do irmão ao Contacto.

O Ministério Público refere em comunicado, citado pelo jornal, que "a vítima tinha sido identificada por duas tatuagens", tendo a identificação sido "confirmada pela análise do ADN". "A investigação judicial luxemburguesa prossegue e numerosos controlos estão em curso", indica.

"A fim de não prejudicar a investigação em curso, o Ministério Público de Diekirch não comunicará, por enquanto, quaisquer outras informações e gostaria de salientar que qualquer pessoa que seja objeto de uma investigação ou procedimento criminal é presumida inocente até ser provada a sua culpabilidade por uma decisão final do tribunal competente", refere ainda a nota.

Na quarta-feira, o Ministério dos Negócios Estrangeiros português referiu que os consulados gerais de Estrasburgo e do Luxemburgo estão a acompanhar "com especial atenção" este caso. Indicou à Lusa que o apoio que está a ser prestado pelos consulados gerais de Estrasburgo e do Luxemburgo foi "ativado na sequência de contacto da família com o Gabinete de Emergência Consular" deste ministério.

Uma marcha branca em homenagem a Diana Santos deverá realizar-se em 22 de outubro na localidade fronteiriça de Athus, na Bélgica.

Com Lusa

Notícia atualizada às 21:45