"Dancei, cantei, festejei. Só coisas legais". Sanna Marin reage a vídeos numa festa

Vídeos da primeira-ministra finlandesa, de 36 anos, a dançar de forma exuberante com várias personalidades finlandesas foram partilhados nas redes sociais e geraram críticas.

DN
Um dos momentos dos vídeos em que surge Sanna Marin. | foto DR
Sanna Marin numa conferência de imprensa. | foto Robert ATANASOVSKI / AFP

A primeira-ministra finlandesa, Sanna Marin, reagiu esta quinta-feira à polémica causada pela divulgação, nas redes sociais, de vídeos onde surge a dançar e a cantar com várias personalidades do país, havendo quem defenda que deve fazer um teste para provar que não consumiu drogas.

"Dancei, cantei, festejei. Coisas perfeitamente legais", disse Marin, de 36 anos, numa transmissão em direto antes de uma reunião de verão do grupo parlamentar do seu Partido Social-Democrata. "Pessoalmente não consumi drogas, nem consumi nada mais do que álcool", acrescentou, dizendo que nunca esteve numa situação onde viu ou teve conhecimento de outras pessoas a usar drogas.

Segundo os media finlandeses, nos vídeos há pessoas que gritam ao fundo sobre cocaína. O deputado Mikko Kärnä, do Partido do Centro (que faz parte da coligação no governo), defendeu que a ministra deve fazer um teste e divulgar os resultados publicamente. "As pessoas devem poder esperar isso da sua primeira-ministra", escreveu no Twitter.

Entre os famosos que surgem a dançar com a primeira-ministra está o deputado Ilmari Nurminen, do mesmo partido de Marin, a apresentadora de televisão Tinni Wikström, a cantora Alma e a irmã Anna.

Segundo a primeira-ministra, os vídeos são privados e foram filmados numa residência privada há algumas semanas - os media alegam que terão sido publicados nas Histórias do Instagram, onde só ficam 24 horas. Ela sabia que estava a ser filmada, mas pensou que os vídeos se mantivessem privados. "Estou chateada por estes vídeos terem vindo a público. Era eu numa noite de festa com amigos", explicou.

Sanna Marin numa conferência de imprensa.© Robert ATANASOVSKI / AFP

Não é a primeira vez que as festas de Marin são notícia. Em dezembro, a primeira-ministra passou a noite numa discoteca em Helsínquia, deixando o telemóvel do trabalho em casa. Por causa disso, não foi informada que tinha tido contacto com um ministro que tinha covid-19 e continuou a aproveitar a noite.