Cazaquistão considera viável projeto da "Grande Eurásia" proposto por Putin

O Presidente do Cazaquistão, Kassym-Jomart Tokayev indicou esta quinta-feira que considera possível a concretização do megaprojeto da 'Grande Eurásia' proposto há anos pelo seu homólogo russo Vladimir Putin, sobre o reforço da cooperação de diversas economias ex-soviéticas com a China.

DN/Lusa
Kassym-Jomart Tokayev, presidente do Cazaquistão

"O megaprojeto da Grande Eurásia merece uma discussão detalhada. Mais tarde ou mais cedo será aplicado. E, como disse o Presidente russo Vladimir Vladimirovich (Putin), é possível que outros países possam juntar-se", disse Tokayev na sessão plenária do Fórum Económico Euro-asiático que decorre em Bishkek, capital da Quirguízia.

Tokayev apontou que outros megaprojetos similares, como a Nova Rota da Seda chinesa, já incluem muitos participantes.

Em 2016, Putin propôs a criação da Grande Eurásia para aproximar as economias da União Económica Euro-asiática (UEE) à China.

Inicialmente, também se previa a possibilidade de participação de países europeus neste projeto.

"O Presidente russo fez uma proposta absolutamente racional para envolver países interessados no processo de integração. Aqui temos o projeto chinês da Nova Rota da Seda, assim como outros países que realmente manifestam interesse em unir-se aos processos de integração no espaço euro-asiático", considerou Tokayev.

O Fórum Económico Euro-asiático realizou-se um dia antes da cimeira dos líderes da UEE, que integra a Arménia, Bielorrússia, Cazaquistão, Quirguízia e Rússia, onde vão ser debatidas as prioridades deste grupo em pleno período de sanções sem precedentes contra Moscovo devido à sua campanha militar na Ucrânia.

A UEE foi formalmente anunciada em 1 de janeiro de 2015 e abrange um território de mais de 20,8 milhões de quilómetros quadrados, com mais de 182 milhões de habitantes.