Acionistas do Twitter apresentam queixa contra Musk por manipulação de mercado

Argumentam que se o multimilionário tivesse informado o mercado no tempo devido, teria pagado mais pelas ações.

DN/Lusa
Elon Musk a 10 de maio na Met Gala.© Angela Weiss / AFP

Acionistas do Twitter apresentaram uma queixa contra Elon Musk, que acusam de manipulação de mercado para conseguir economias na sua operação para adquirir esta empresa das redes sociais.

Segundo documentos entregues a um tribunal californiano, na quarta-feira, os queixosos acusam o fundador da Tesla de ter retardado o momento em que anunciou a entrada no capital do Twitter, uma obrigação legal quando se passam certos limites.

O multimilionário economizou assim cerca de 156 milhões de dólares, estimaram, porque, se tivesse informado o mercado no tempo devido, teria pagado mais pelas ações.

"Ao atrasar a publicação do nível da sua participação no Twitter, Musk manipulou o mercado e comprou ações a um preço artificialmente baixo", garantiram os advogados dos investidores, liderados por William Heresniak.

Desde o início de abril, o valor da plataforma na bolsa flutua à medida das informações oficiais e das mensagens do multimilionário no Twitter.

Quando anunciou que tinha atingido a posse de mais de nove por cento da Twitter, em 04 de abril, a ação valorizou 25%.

Depois de alguma especulação sobre se iria ou não integrar a administração, onde acabou por não entrar, anunciou a sua intenção de adquirir o grupo baseado em São Francisco, por 44 mil milhões de dólares.

Depois de uma oposição inicial, a administração acabou por ceder, com Musk também a variar a sua posição, primeiro a avançar que afinal suspendia a operação de aquisição, depois que a ia retomar.

"Musk fez declarações, enviou tuítes e fez outras ações concebidas para semear a dúvida e fazer baixar substancialmente a ação do Twitter para se dotar de uma margem de manobra, que espera utilizar para se retirar da transação ou renegociar o preço", afirma-se na queixa.

Os advogados recordam que parte do financiamento reunido pelo homem mais rico do mundo consiste em empréstimos garantidos por títulos Tesla, que perderam muito valor nesta confusão de avanços e recuos.

Na quarta-feira, Elon Musk elevou para 33,5 mil milhões de dólares a quantia avançada por si e pelos seus parceiros, o que diminuiu o empréstimo a pedir aos bancos.

O anúncio caiu bem entre os investidores bolsistas, que levaram o título da Twitter a valorizar.

Musk, com várias empresas em diversos setores de atividade (Tesla, SpaceX, Neuralink...) já teve problemas com a autoridade bolsista, por causa da sua propensão em divulgar informações na rede Twitter que fazem mexer as cotações em Wall Street.

Seguido no Twiter por mais de 95 milhões de pessoas, Musk já divulgou a sua intenção de retirar a empresa da bolsa quando a adquirir.