Afeganistão. Talibãs conquistam mais três capitais de província num só dia

Os talibãs assumiram o controlo da cidade de Taloqan, no nordeste do Afeganistão, a terceira capital provincial conquistada este domingo e a quinta em três dias, segundo fontes locais citadas pela AFP.

"O governo falhou no envio de ajuda e tivemos de nos retirar da cidade hoje à tarde", declarou um responsável ligado à segurança, enquanto um habitante de Taloqan indicou que "os talibãs estão em todo o lado".

Com esta conquista, os talibãs reforçam o controlo do norte do Afeganistão, com uma ofensiva de grande envergadura que as forças armadas afegãs parecem incapazes de travar.

Com poucas horas de intervalo, os insurgentes conseguiram, após violentos combates, apoderar-se de Kunduz, que cercavam há semanas. Depois conquistaram Sar-e-Pul e mais tarde Taloqan, as capitais provinciais situadas a sul e a leste de Kunduz.

As forças talibãs controlam agora cinco das 34 capitais provinciais afegãs.

Segundo Zabihullah Hamidi, um habitante de Taloqan, capital provincial de Takhar, contactado pela AFP, a violência começou de manhã e os talibãs acabaram por dominar a cidade "sem muitos combates" quando os responsáveis e as forças de segurança abandonaram a cidade.

"Os talibãs estão em todo o lado na cidade com bandeiras brancas" deslocando-se em viaturas e com "disparos para o ar para celebrar a vitória", contou. "Estamos com medo e ainda não ousamos sair de casa", acrescentou.

Zabihullah Mujahid, um porta-voz talibã, confirmou a posse de Taloqan e disse que "a segurança foi restaurada", o mesmo acontecendo com Kunduz e Sar-e-pul.

"Os talibãs assumiram o controlo dos principais edifícios da cidade", segundo um correspondente da AFP em Kunduz.

A cidade com cerca de 300.000 habitantes já esteve nos últimos anos duas vezes sob controlo dos insurgentes, em 2015 e 2016.

A sua conquista representa o principal sucesso militar dos talibãs desde o início desta ofensiva, em maio, aproveitando a retirada das forças internacionais, que deve estar terminada até 31 de agosto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG