Exclusivo "A COP26 foi um ponto de inflexão. A verdadeira economia está agora à mesa"

Peter Bakker, empresário neerlandês e presidente do Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (WBCSD) há quase dez anos, esteve em Lisboa para uma conferência do BCSD Portugal. Ao DN fez um balanço da conferência de Glasgow do ponto de vista das empresas e falou do que aí vem.

Esteve na cimeira do clima em Glasgow e é um daqueles que olha para a COP26 e vê o copo meio cheio. Não foi um falhanço?
Não, para mim a COP26 foi um ponto de inflexão. Nem tudo foi alcançado, nem todos os acordos foram tão ambiciosos como queríamos. Mas a verdadeira economia está agora à mesa. Porque os governos têm um papel importante ao estabelecer as estruturas, mas nós precisamos que as empresas mudem, precisamos que os investidores e os mercados de capitais tragam o dinheiro para apoiar essa mudança. E é isso que acho que nunca aconteceu de forma tão forte como desta vez. Em cimeiras anteriores eu via CEOs, mas normalmente voavam para lá, faziam um discurso, tinham um ou outro encontro, e depois iam-se embora. Agora os CEOs de algumas das maiores empresas do mundo ficaram quatro ou cinco dias, a participar em painéis, em diálogos... Falei com um que me disse: "Eu nunca tinha vindo a uma COP, eu não fazia ideia que era assim tão urgente, vou mudar toda a minha estratégia." Isso é muito positivo. E acho que o facto de se manter a meta do aquecimento global abaixo dos 1,5 graus é importante.

E o que o desapontou?
O que é desapontante é não ter havido um compromisso com o fundo dos cem mil milhões de dólares, pelo que estamos em risco de ainda ter esta divisão entre o mundo desenvolvido e o em desenvolvimento. E a maior preocupação que tenho é que havia 30 mil pessoas na cimeira, a maior parte delas a fazer o melhor para ser parte da conversa, e cem mil pessoas nas ruas de Glasgow a protestar. E quando falei com as pessoas que protestavam percebi que nós" queremos a mesma coisa. Mas não confiamos uns nos outros. As pessoas nas ruas estão com raiva, dizem que os governos não lideram, as empresas estão aqui só para fazerem greenwashing....

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG