Xi manda artistas para o campo e quer ser novo Grande Timoneiro

Presidente chinês advertiu intelectuais para não se transformarem em "escravos do mercado". Analistas consideram que objetivo é consolidação e reforço do seu poder.

Escritores, músicos, dramaturgos, jornalistas, profissionais do cinema e da televisão, todos vão ter de viver entre "as massas" e no "mundo rural", pelo menos durante 30 dias, para se "inspirarem", entenderem a "visão correta das artes" e falarem "de forma adequada" sobre a realidade. A finalidade é também consolidarem uma perspetiva que permita a "criação de mais obras-primas".

Não, esta não é uma citação tirada de um texto da agência noticiosa oficial chinesa na época em que Mao dirigiu o país (1949-1976), e em que as artes estavam restringidas a uma forma de propaganda. São extratos de um despacho da Nova China do início de dezembro e correspondem à concretização das ideias enunciadas pelo presidente Xi Jinping num discurso de outubro.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG