Vladimir Putin condiciona acordo sobre Leste da Ucrânia em Minsk

Presidente russo faz depender sucesso do encontro na capital bielorrussa de aceitação das suas condições. Porochenko insiste no cumprimento do cessar-fogo de setembro.

Os presidentes Vladimir Putin, Petro Porochenko, François Hollande e a chanceler Angela Merkel vão reunir-se quarta-feira em Minsk, capital da Bielorrússia, numa cimeira que está a ser considerada como uma das derradeiras oportunidades para travar a escalada de violência no Leste da Ucrânia. O encontro de Minsk sucede num momento em que os separatistas pró-russos desencadearam uma ofensiva e estão a ganhar terreno, ao mesmo tempo que se multiplicam as vozes, nos Estados Unidos, a favor da entrega de armas aos militares de Kiev.

A cimeira de quarta-feira foi agendada após uma "longa" conferência telefónica entre os presidentes da Rússia, da Ucrânia, da França e a chanceler da Alemanha, na sequência do encontro de sexta-feira em Moscovo entre Putin, Hollande e Merkel. Foi o porta-voz da chanceler, Steffen Seibert, a classificar como "longa" e "exaustiva"a conversa entre os quatro dirigentes, revelando que o objetivo é "chegar-se a um acordo global" para o conflito.

Mas sobre a cimeira de Minsk avultam sombras, com Putin a dizer ontem em Sochi, onde esteve reunido com o presidente da Bielorrússia, Alexander Lukachenko, que o encontro só se realizaria na condição de "até lá haver acordo sobre as nossas posições".

Leia mais no epaper ou na edição impressa do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG