Varoufakis ameaça Bruxelas com eleições antecipadas

Reformas de Atenas são discutidas hoje pelo Eurogrupo. Jeroen Djisselbloem elogiou utilidade das propostas, mas disse não acreditar que gregos recebam mais dinheiro este mês.

O governo de Alexis Tsipras, eleito a 25 de janeiro, poderá convocar legislativas antecipadas ou mesmo um referendo se Bruxelas não aceitar o plano de Atenas. A garantia foi dada ontem pelo ministro das Finanças grego numa entrevista ao jornal italiano Corriere della Sera. O Eurogrupo discute hoje a proposta de sete reformas da Grécia, documento que já foi descrito por Jeroen Dijsselbloem como "útil".

"Pode haver problemas [se Bruxelas rejeitar proposta grega]. Mas, como o meu primeiro-ministro já disse, ainda não estamos agarrados às cadeiras. Podemos voltar a ter eleições, convocar um referendo", disse Yanis Varoufakis ao Corriere. O governante referiu ainda que as notícias sobre uma possível saída da Grécia da zona euro são "tóxicas".

Num comunicado divulgado na tarde de ontem, o Ministério das Finanças grego afirmou que Varoufakis estava a responder a uma pergunta hipotética e que qualquer referendo seria "obviamente sobre o conteúdo das reformas e a política fiscal" e não sobre a permanência de Atenas na zona euro, como sugeriu aquele jornal italiano - no texto da entrevista o jornalista acrescentou, entre parêntesis, com a ressalva que era uma nota do redator, que o referendo seria sobre o euro.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG