Ucrânia votou pela aproximação "irreversível" à UE, diz Poroshenko

Os ucranianos votaram em massa a favor de uma aproximação "irreversível" à Europa, declarou hoje o presidente Petro Poroshenko depois de os partidos pró-ocidentais terem garantido uma vitória esmagadora nas eleições legislativas, segundo sondagens à boca das urnas.

"Mais de três quartos dos eleitores que participaram na votação apoiarem, de forma poderosa e irreversível, a orientação da Ucrânia em direcção à Europa", declarou o presidente num discurso à nação.

"Não posso deixar de me sentir feliz com o facto de a maioria dos votantes apoiar as forças políticas que defendem o plano de paz presidencial e que buscam vias políticas para resolver a situação", disse Poroshenko depois do fecho das urnas.

Acrescentou ainda que os partidários de uma solução militar para o conflito nas regiões de Donetsk e Lugans, controladas parcialmente por separatistas pró-russos, tiveram uma "clara minoria".

"E o mesmo aconteceu com todos os demagogos e populistas que tentaram seduzir os eleitores com receitas simples para curar problemas extremamente complexos. As pessoas votaram por uma maioria política com um grande potencial reformador", continuou Poroshenko.

Segundo as sondagens realizadas à boca das urnas o Bloco Petro Poroshenko foi o partido mais votado, com 23%dos sufrágios, seguindo-se a Frente Popular do primeiro-ministro, Arseni Yatseniuk, com mais de 21%.

Os outros partidos europeístas serão a formação Samopomich (Autoajuda), liderada pelo presidente da câmara de Lviv, Andri Sadovi, que constituiu a maior surpresa das legislativas, com 13,2%, devendo participar igualmente nas negociações a Batkivschina (Pátria), da ex-primera-ministra Julia Timoshenko, que conseguiu 6%.

Segundo Poroshenko, o objectivo da coligação europeísta é introduzir emendas constitucionais e reformas estruturais que permitam solicitar a entrada na União Europeia em 2020.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG