Tsipras irritado com deputados do Syriza que exigem carros oficiais

Uma das primeiras medidas do governo foi acabar com os privilégios dos políticos, que se queixaram à presidente do Parlamento

"Como nos comportamos enquanto mantemos uma posição de autoridade vai determinar a duração do nosso período governamental. Estamos aqui para subverter estruturas monolíticas e privilégios." O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, disse ontem no segundo dia da reunião do comité central do Syriza ter ficado "desapontado" e ter-se "sentido mal" ao ser informado que os deputados do seu próprio partido estavam a contestar a decisão do governo de cortar nos carros e noutros privilégios a que têm direito.

Segundo o jornal grego Protothema, Tsipras terá ficado irritado com os deputados que terão pedido à presidente do Parlamento, Zoe Konstantopoulou, para terem carros estatais, havendo alguns que se queixaram de não ter os meios para comprar o seu próprio meio de transporte. Essa informação foi avançada pelo site efimerida.gr, com base em fontes anónimas. "Eles reagiram a gastar 300 ou 400 euros quando o seu salário é de seis mil", disse Tsipras. "Isto não é populismo mas detalhes importantes que vão determinar se somos quem dizemos ser ou não", acrescentou.

Leia mais pormenores na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG