Telemóveis na Coreia do Norte

O diário sul-coreano Chosun Ilbo interroga-se sobre o número de telemóveis na Coreia do Norte, país que proíbe chamadas telefónicas internacionais a parte daqueles.

"O regime comunista norte-coreano criou uma rede de comunicações móveis em 1998, e o número de utilizadores passou de três mil, em 2002, para 30 mil, em 2004. E começou a crescer de forma consistente em 2008, quando a Orascom, do Egipto, e a telefónica norte-coreana criaram uma empresa conjunta para oferecer um serviço de terceira geração, Koryolink."

O diário refere a existência de "400 mil a 450 mil telemóveis (...), sendo modelos da Motorola e Nokia os primeiros a serem vendidos, mas, de acordo com um porta-voz de um grupo de oposicionistas no exílio, mais recentemente os telemóveis começaram a ser feitos na China, com indicação de serem produzidos na Coreia do Norte."

A Coreia do Norte tem 450 mil utilizadores numa população de 24 milhões, enquanto a Coreia do Sul tem uma população de 49 milhões, sendo que a média ultrapassa um aparelho por habitante.

"A taxa de penetração dos telemóveis na Coreia do Norte é de apenas1,3%, muito abaixo dos 103,9% sul-coreano, mas o tempo médio de utilização é semelhante ao da Coreia do Sul, cerca de 300 minutos". Este valor, escreve o jornal, resulta do uso extensivo de telemóveis entre a elite político-militar norte-coreana.

"A Coreia do Norte proíbe as chamadas internacionais a partir dos telemóveis (...) enquanto as comunicações fixas, baseadas principalmente em Pyongyang, são utilizadas pelos privilegiados do regime enquanto a população das regiões rurais ainda só tem acesso a chamadas através de operadores."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG