"Solas dos sapatos iam derretendo ao tentarmos chegar aos salva-vidas"

Navio que ligava Grécia e Itália incendiou-se na madrugada. Das 478 pessoas a bordo, 165 foram resgatadas, uma morreu.

"As solas dos sapatos iam derretendo quando tentámos chegar ao convés inferior, onde estavam os salva-vidas. Tivemos de voltar para trás. O calor era insuportável", afirmou a uma estação televisiva grega Sofoklis Styliaras, um dos primeiros passageiros a ser resgatado do Norman Atlantic, dando uma ideia do ambiente a bordo do navio que se incendiou ontem de madrugada ao largo do Mar Adriático, quando fazia a ligação entre a Grécia e a Itália.

O testemunho de Sofoklis Styliaras era corroborado mais tarde por declarações de uma passageira ainda bordo, Rania Fireou, que confirmou o ambiente insuportável no interior do navio e como ela e outras pessoas, "crianças e muitos idosos", tinham procurado refúgio no heliporto.

As condições meteorológicas adversas, com ventos de mais de 80 quilómetros/hora, chuva intensa e vagas de mais de cinco metros estavam a dificultar as operações de salvamento e a aproximação de outros navios ao local onde ficou à deriva o Norman Atlantic, depois de se ter declarado o incêndio num dos convés destinado ao transporte de veículos.

Leia mais no epaper ou na edição impressa do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG